26 de novembro de 2005

Só para loucos

Colhendo cogumelos na varanda de cristal
Avenidas paralelas, rua em forma de espiral
Pisando sempre em flores num pedaço de universo
Espinhos do destino fazem parte do meu verso
Só para os loucos, só para os raros
Confesso impressionado, nunca vi coisa igual
O banheiro era um refugio, um lugar espiritual
A estante era um bidê que continha livros raros
O nautilus no teto, bem em cima do vaso


Um comentário :

Pedro Lima disse...

É um ambiente suprarreal - estante-bidê, por exemplo - mas cai no gosto de muitos. Eu me sentiria muito bem num apartamento amplo, de paredes brancas, com mínimo de móveis e repleto de telas impressionistas da belle èpoque!

Mudando de assunto, adorei este blogue e desculpe a ausência, pois meu msn ainda continua bloqueado por causa do motherfucker do administrador de rede!

Beijitos e prometo sempre passar por aqui!
28/11/05 - 11:56