9 de fevereiro de 2006

minha mãe

Li esse poema (não sei quem escreveu) não sei onde, mas consegui ver minha mãe em todas as linhas dele...
Resolvi publicar!!...

Uma mulher independente
Que vai à luta
Que segue em frente
Na sua labuta

Remove perdas pesadas
Afasta os espinhos
Abre os caminhos
Dá largas passadas

Não a detém o cansaço
Ele é necessário para não pensar
Na urgência de um abraço
E no doce prazer de amar

Uma mulher independente
Auto suficiente
Tão grande, tão pequena
E literalmente carente!...


Nenhum comentário :