27 de junho de 2006

Dados Digitais

Ontem eu fiquei na fila do cartório pra reconhecer firma por uns 20 ou 30 min.. e enquanto aguardava desandei a “filosofar”..
Em que ano estamos? 2006? De que século? Todos dizem que é o XXI, mas com tanta tecnologia e tanta “visão” futuristica, às vezes ainda me sinto na época das carroças, ou das charretes...
Vamos pensar nos tantos documentos que temos que ter em mãos e carregar pra onde quer que vamos: RG, CPF, Carteira de Habilitação, Carteira de Trabalho, PIS, Passaporte, Certidão de Reservista (para os homens).. sem contar o Título de Eleitor com todos os comprovantes das eleições passadas...
Não seria MUITO mais SIMPLES e SEGURO se todos estes documentos se convertessem num único cartão eletrônico?
E quanto ao reconhecimento de firma? Um pedaço de papel que tem minha assinatura 2 vezes e a assinatura de um atendente do cartório dizendo que a minha assinatura é real! Detalhe: tenho que fazer um desse em cada cidade que eu for, caso precise comprovar algo. Quer dizer, pra alguém que trabalha viajando, que cada hora mora por um tempo numa cidade, tem vários cartõezinhos com sua assinatura distribuídas pelo país. Será isso seguro?
E quanta burocracia! Apresenta esse documento, mais aquele, a cópia, o marido, a mãe, o papagaio... a lista de coisas que temos que apresentar conforme vontade alheia é enorme!
Multas! Sabia que quem tem um carro de Santa Catarina, por exemplo, pode rodar em SP à vontade sem tomar uma multa sequer? E sabe por quê? Por que os sistemas não se conversam!!
E por aí vai...
Em pleno século XXI, tantas coisas, às vezes inúteis, evoluem e tantas outras importantes, páram no tempo...


25 de junho de 2006

Meio-Termo

Sem querer parecer careta, mas temos que chegar a um meio-termo na vida. Temos que curtir, sair, nos divertir e namorar muito, mas também temos que nos preocupar com o nosso lado espiritual, não nenecessariamente através de uma religião, mas através de algo que nos traga serenidade. Então daqui a alguns anos seremos velhinhos com muita paz de espírito, mas também com muitas lembranças pra revivermos e histórias pra contar!!


23 de junho de 2006

Vida!...

"POR MUITO TEMPO eu pensei que a minha vida fosse se tornar vida de verdade. Mas sempre havia um obstáculo no caminho, algo a ser ultrapassado antes de começar a viver - um trabalho não terminado, uma conta a ser paga... Aí sim, a vida de verdade começaria.
Por fim, cheguei à conclusão de que esses obstáculos eram a minha vida de verdade!"
- Alfred D. Souza


22 de junho de 2006

Desabafo!...

Sabe, eu acredito que a gente tem ser responsável por tudo o que faz e diz.. e a gente tem que encarar as consequências também, porque na vida tudo é ação e reação - se vc faz/fala algo, isso vai ter uma consequência.. agora, se não puder aguentá-la, então é melhor nem começar...
E isso se aplica a tudo, não só a uma situação especificamente... as pessoas deveriam pensar em tudo antes de agir, mas isso raramente acontece... e assim fica fácil.. usar o nome de outra pessoa, envolver terceiros, fazer chantagens emocionais, sair revirando o mundo e depois sair fora...
É lamentável que algumas pessoas façam a maior confusão, sem ter coragem sequer 1 vez de pegar um telefone e ligar pra pessoa com quem tem um problema, de agir decentemente, com maturidade..
E de verdade, gente assim não merece sequer essas palavras...Mas a vida tem dessas coisas.. nem todo mundo sabe lidar com seu próprios sentimentos, nem todo mundo tem coragem!...


19 de junho de 2006

Até a rapa

Hmm... quanto tempo leva pra gente se desvencilhar de um amor?
Será que depende do tempo que passamos juntos? Será que depende dos momentos que dividimos? Ou será que depende do que acreditamos sobre relações? Ou tem a ver com passagens da infância? Ou depende dos exemplo que temos a nossa volta?
Eu não sei... tenho vários amigos em diferentes fases da vida, inclusive tenho minhas próprias experiências, e cada um sente, pensa e reage de forma diferente. Nada mais justo, afinal.. cada um de nós é único!..
Mas vejo que alguns sofrem mais, outros sofrem menos.. uns sofrem por muito tempo, outros por pouco tempo.. uns se esquecem mais depressa, outros levam uma vida inteira tentado esquecer..
E aí me pego pensando... será mesmo que tem a ver com o outro, ou com a gente mesmo?
Martha Medeiros escreveu o seguinte:
"Olhe para um lugar onde tenha muita gente: uma praia num domingo de 40 graus, uma estação de metrô, a rua principal do centro da cidade. Pois metade deste povaréu sofre de dor-de-cotovelo.
Alguns trazem dores recentes, outros trazem uma dor de estimação, mas o certo é que grande parte desses rostos anônimos têm um amor mal resolvido, uma paixão que não se evaporou completamente, mesmo que já estejam em outra relação.
Por que isso acontece? Eu tenho uma teoria, ainda que eu seja tudo, menos teórica no assunto.
Acho que as pessoas não gastam seu amor. Isso mesmo. Os amores que ficam nos assombrando não foram amores consumidos até o fim.
Você sabe, o amor acaba. É mentira dizer que não. Uns acabam cedo, outros levam 10 ou 20 anos para terminar, talvez até mais. Mas um dia acaba e se transforma em outra coisa: amizade, parceria, parentesco, e essa transição não é dolorida se o amor foi devorado até a rapa.
Dor-de-cotovelo é quando o amor é interrompido antes que se esgote. O amor tem que ser vivenciado. Platonismo funciona em novela, mas na vida real demanda muita energia, sem falar do tempo que ninguém tem para esperar. E tem que ser vivido em sua totalidade. É preciso passar por todas as etapas: atração-paixão-amor-convivência-amizade-tédio-fim.
Como já foi dito, este trajeto do amor pode ser percorrido em algumas semanas ou durar muitos anos, mas é importante que transcorra de ponta a ponta, senão sobra lugar para fantasias, idealizações, enfim, tudo aquilo que nos empaca a vida e nos impede de estar aberto para novos amores.
Se o amor foi interrompido sem ter atingido o fundo do pote, ficamos imaginando as múltiplas possibilidades de continuidade, tudo o que a gente poderia ter dito e não disse, feito e não fez.
Gaste seu amor. Usufrua-o até o fim. Enfrente os bons e os maus momentos, passe por tudo que tiver que passar, não se economize. Sinta todos os sabores que o amor tem, desde o adocicado do início até o amargo do fim, mas não saia da história na metade. Amores precisam dar a volta ao redor de si mesmo, fechando o próprio ciclo.
Isso é que libera a gente para ser feliz de novo."


16 de junho de 2006

?!?!?!?!

As pessoas deveriam se preocupar com sua própria vida, certo? Pois é, mas tem mais gente de olho na minha vida que eu mesma!!!

Mas não faz mal, não, eu sigo em frente... evoluindo cada dia mais!!!


12 de junho de 2006

Dia dos namorados...

... pra quem não tem namorado!!..

A vida é bela, o amor é lindo,
E dia 12 cai num domingo.
Não reclamo. Está perfeito!
Vou passar o dia dormindo!
Está sozinho, mal-amado? Mesmo assim você se gosta?
Nesse dia mal fadado, não importa - Tudo é bosta!
Quero mais é ostentar meu orgulho de solteiro.
Vai chover no dia 12 - temporal o dia inteiro.
Não! É feio rogar praga.Vai fazer é um dia lindo.
Quem namora que aproveite.Vou aproveitar dormindo.


11 de junho de 2006

Capitão do Mato

Pra quem não conhece, "voltada ao público jovem, a banda CAPITÃO DO MATO possui um estilo bem definido que mistura o rock aos ritmos brasileiros de raiz (côco, maculelê, maracatú, boi etc.) podebdo ser chamado de autêntico “rock brasileiro”.
Formada por músicos experientes que já tocaram com artistas conhecidos da região do Vale do Paraíba a banda existe desde 2003 quando começou seu trabalho de composições e a gravação do CD.No último ano a Capitão do Mato fez shows pelo Vale do Paraíba, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais, participando de grandes shows, mostras e festivais de instituições como SESC, Prefeituras e Fundações Culturais além de ter tocado ao vivo na MTV, no programa “Câmbio Mtv” em fevereiro de 2005, tendo sido transmitido ao vivo e reprisado por mais quatro vezes para todo o país."
E os integrantes dessa banda são meus amigos de coração, então tomei a liberdade de divulgar o trabalho deles, dividindo com vcs um clipe que tá circulando por aí...
Clipe-vinheta para Rede Vanguarda (Rede Globo - Vale do Paraíba)
www.digimaxstudius.com.br/video/vangcapi.wmv
Site da banda - www.capitaodomato.com


10 de junho de 2006

Sacanagem

"Esta é a semana dos namorados, mas não vou falar sobre ursinhos de pelúcia nem sobre bombons. É o momento ideal pra falar de sacanagem.
Se dei a impressão de que o assunto será ménages à trois, sexo selvagem epráticas perversas, sinto muito desiludí-lo. Pretendo, sim, é falar das sacanagens que fizeram com a gente.
Fizeram a gente acreditar que amor mesmo, amor pra valer, só acontece uma vez, geralmente antes dos 30 anos. Não contaram pra nós que amor não é racionado nem chega com hora marcada. Fizeram a gente acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja, e que a vida só ganha sentido quando encontramos a outra metade. Não contaram que jánascemos inteiros, que ninguém em nossa vida merece carregar nas costas a responsabilidade de completar o que nos falta: a gente cresce através da gente mesmo. Se estivermos em boa companhia, é só mais rápido.
Fizeram a gente acreditar numa fórmula chamada "dois em um", duas pessoas pensando igual, agindo igual, que isso era que funcionava. Não nos contaram que isso tem nome: anulação. Que só sendo indivíduos com personalidade própria é que poderemos ter uma relação saudável.
Fizeram a gente acreditar que casamento é obrigatório e que desejos fora de hora devem ser reprimidos. Fizeram a gente acreditar que os bonitos e magros são mais amados, que os que transam pouco são caretas, que os que transam muito não são confiáveis, e que sempre haverá um chinelo velho para um pé torto. Ninguém nos disse que chinelos velhos também têm seu valor, já que não nos machucam, e que existe mais cabeças tortas do que pés.
Fizeram a gente acreditar que só há uma fórmula de ser feliz, a mesma para todos, e os que escapam dela estão condenados à marginalidade. Não nos contaram que estas fórmulas dão errado, frustram as pessoas, são alienantes, e que poderíamos tentar outras alternativas menos convencionais.
Sexo não é sacanagem. Sexo é uma coisa natural, simples - só é ruim quando feito sem vontade.
Sacanagem é outra coisa. É nos condicionarem a um amor cheio de regras e princípios, sem ter o direito à leveza e ao prazer que nos proporcionam as coisas escolhidas por nós mesmos."
- Martha Medeiros -


7 de junho de 2006

...

.. a decomposição, ao passo que anuncia a morte, prepara também o renascimento, e pode ser o prelúdio de uma nova vida...


5 de junho de 2006

Maluquice? Pode ser...

Às vezes acho que deveríamos nos relacionar com pessoas que gostamos, mas não amamos...
Que o amor é sublime, que enquanto platônico é maravilhoso, mas quando vivido e dividido, então se transforma, em qualquer outra coisa - costume, ciúme, possessão, alegria, indiferença, paz, confusão, ilusão - que não amor...
Maluquice? Pode ser...


2 de junho de 2006

Oiês!

Finalmente a desocupada aqui começou a trabalhar!
E ando só o pó! Acordo 5 e meia da madrugada e chego em casa às 19hs.. se levo 1 hora pra chegar lá e acho isso ruim, pior é levar quase 2 pra chegar em casa!!
Mas não reclamo! Estou super feliz! Estou trabalhando num lugar legal, com pessoas que parecem ser legais também, estou aprendendo coisas novas e reciclando as já conhecidas.. e agora, depois de quase 15 anos na mesma profissão, acho que consigo ver além do horizonte!
Não penso em ser gerente, mas quero um dia me sentir capaz de liderar, mesmo que não venha a exercer tal função. Eu já tive uma experiência dessa, e confesso - preciso aprender muito pra chegar lá!
Aliás.. estávamos conversando sobre isso hoje no café da manhã.. e todo mundo que trabalha em escritório quer sempre ser gerente, né?! É engraçado... Eu já tive vários chefes, bons e ruins, e penso que nem todo mundo tem aptidão pra isso. E aí acho que a coisa fica pior, porque no fundo, a pessoa sabe que não tem o dom, e fica frustrada e acaba descontando essa frustração de um jeito ou de outro em quem está a sua volta, tornando a função mais difícil ainda de ser exercida...
Agora, será mesmo que é preciso ser gerente (ou ter um alto cargo) pra se dizer que uma tem sucesso e que está satisfeito com a profissão que escolheu?
Aí me vem aquela cena do filme "entrando numa fria", com Robert De Niro e Ben Stiller - ele é enfermeiro e o pai da noiva só tem amigos médicos, e no café da manhã estão todos reunidos e o pai tenta embaraçar o noivo por causa da profissão, perguntando se ele não foi "capaz" de chegar lá, e ele passou pra medicina mas descobriu que era feliz como enfermeiro!
Acho que isso vale mais!!


1 de junho de 2006

Qualquer semelhança com a realidade...

... é mera coincidência!
Pessoal, dêem uma olhada nesse video.
Ele é curtinho e deve servir para avaliação de nossa cultura frente a realidade de nosso Brasil.
http://www.laboratoriodedesenhos.com.br/corrente_page.htm