17 de novembro de 2007

A menina que roubava livros

"Entre 1939 e 1943, Liesel Meminger encontrou a Morte três vezes.
E, saiu suficientemente viva das três ocasiões para que a Própria, de tão impressionada, decidisse nos contar sua história.
História que, nas palavras dirigidas ao leitor pela ceifadora de almas no início de A menina que roubava livros, é uma dentre a pequena legião que carrego, cada qual uma tentativa - uma tentativa que é um salto gigantesco - de me provar que você e a sua existência humana valem a pena".
Acabei de ler este livro, e foi uma surpresa pra mim. Eu ganhei de presente, não sabia do que se tratava e sequer li a contra-capa antes de começar a ler...
Uma leitura diferente, e meio confusa no começo. Confesso, demorei um pouco pra me tocar de que era a morte que contava a história... mas adorei o livro!!
Como diz a Rosi, "nos mostra como o ser humano pode ser cruel com suas guerras, mas também mostra o outro lado do ser humano que se arrisca em nome da amizade, do amor incondicional e da solidariedade"...


Nenhum comentário :