31 de dezembro de 2009

Feliz 2010!!

"Não há de ser nada, pois sei que a madrugada acaba
quando a lua se põe..."


Esse ano foi uma loucura... novas amizades, novo emprego, novas conquistas... tantas coisas aconteceram que eu nem acredito que tudo coube num ano só... 
Mas muitas outras poderiam ter acontecido também, se eu tivesse dado mais chance, ou mais tempo, ou mais atenção... E o pior é que mesmo se eu fizesse uma lista de tudo o mais que eu gostaria de ter feito pra lembrar de fazer em 2010, sei que não será possível, porque sei que cada dia trará um novo desafio, uma nova emoção, um novo sentimento que me "consumirá" de forma plena e absoluta, me impedindo de "incluir mais itens" pra viver, ou pra sentir, ou pra fazer... 
Então, em 2010, desejo que a gente possa perceber mais atentamente tudo o que está a nossa volta e alimentar nossa alma com infinitas sensações; que nossos sonhos nunca se acabem e que possamos ser pessoas melhores; e que a gente acredite mais que a vida é feita de magia e quando a gente menos espera tudo pode acontecer...

- Feliz 2010 pra todos nós!!


30 de dezembro de 2009

O Teatro Mágico

- Sobra Tanta Falta...


...sobram tantas meias verdades que guardo pra mim mesmo...
...sobra tanto espaço dentro do abraço...


27 de dezembro de 2009

Miles Away...



...Too much of no sound
Uncomfortable silence can be so loud...

...So far away
...When I'm gone you'll realize
That I'm the best thing that happened to you...


24 de dezembro de 2009

Electron Love Theory

Sei lá quando foi, navegando à toa na net, acabei encontrando Electron Love Theory. Consegui 2 músicas apenas, e nada mais.
Hoje, não sei porque, resolvi dar uma olhada, ver se achava mais alguma música deles, e pra minha surpresa!, o site deles agora tá cheio de músicas novas! Adorei!!
Pra quem não conhece, a criação de escritor, músico, e produtor Jeff Leisawitz - electron Love Theory foi comparado com artistas tal como Dido, Portishead, e Everything But the Girl. Eu não entendo nada de música, mas logo de cara adorei as composições, as batidas..
Infelizmente não tem nenhum vídeo com nenhuma música pra eu postar aqui,  então, quem quiser saber mais, vai ter que visitar o site - Electron Love Theory!
- Espero que vcs gostem também!!



22 de dezembro de 2009

Viagem ou Viajem - alguém sabe?!

Eu sempre escrevi viagem com "G", mas vejo que muita gente esceve com "J", e ainda que vc pergunte qual a diferença, tenho certeza que vc vai ouvir vários devaneios e delírios literários na tentativa de explicar e a maioria com certeza não vai conseguir, por mais que se esforce!!
Também, não é pra menos... Diz se vc conseguiria chegar a essa explicação de cara, assim, sem nem pensar no assunto?! rsrs

- "Viagem" (com g), é substantivo e significa "ato de ir de um a outro lugar"; jornada, caminhada".
Ex.: A minha viagem ao interior de Minas Gerais deu-se em dezembro.

- "Viajem" (com j), é a terceira pessoa do plural do presente do subjuntivo do verbo Viajar.
Ex.: Ainda que eles viajem cedo, não chegarão em tempo.

Obs.: Presente do subjuntivo, então?! Nem fale... vão perguntar se é de comer!! rsrs


20 de dezembro de 2009

Mulheres Possíveis

Nem preciso dizer que sou fã da Martha Medeiros, e amei esse texto!!
Minha irmã me mandou por email, e apesar do texto não ser meu, quero dedicá-lo a todas as mulheres batalhadoras, talentosas e ocupadíssimas que existem por aí!!!
“Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é possível, me ofereço como piloto de testes.
Sou a Miss Imperfeita, muito prazer.
Uma imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional, mãe e mulher que também sou:
Trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao supermercado três vezes por semana, decido o cardápio das refeições, levo os filhos no colégio e busco, almoço com eles, estudo com eles, telefono para minha mãe todas as noites, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de e-mails, faço revisões no dentista, mamografia, caminho meia hora diariamente, compro flores para casa, providencio os consertos domésticos, participo de eventos e reuniões ligados à minha profissão e ainda faço escova toda semana - e as unhas!
E, entre uma coisa e outra, leio livros.
Portanto, sou ocupada, mas não uma workaholic.
Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres.
Primeiro: a dizer NÃO.
Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO. Culpa por nada, aliás.
Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero.Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.
Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para os outros.
Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse direitinho.
Você não é Nossa Senhora.
Você é, humildemente, uma mulher.E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante.
Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável. É ter tempo.
Tempo para fazer nada.
Tempo para fazer tudo.
Tempo para dançar sozinha na sala.
Tempo para bisbilhotar uma loja de discos.
Tempo para sumir dois dias com seu amor.
Três dias. Cinco dias!
Tempo para uma massagem.
Tempo para ver a novela.
Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza.
Tempo para fazer um trabalho voluntário.
Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto.
Tempo para conhecer outras pessoas.Voltar a estudar.Para engravidar.
Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado.
Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir.
Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal.
Existir, a que será que se destina?
Destina-se a ter o tempo a favor, e não contra.
A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada.
Está tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem.
Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si.
Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo! Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.
Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir.
Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela.
Desacelerar tem um custo.
Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M.A.C. Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores.E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante.”

- MARTHA MEDEIROS - Revista do Jornal O GLOBO


18 de dezembro de 2009

Follow the Rabbit


Eu tô meio atrasada com esse post, mas antes tarde do que nunca, né....
No domingo passado rolou um festival no Café Aurora e eu tive a chance de conhecer a Follow the Rabbit, uma banda de rock alternativo, com um som mais pesado, sem ser uma tortura.
Além disso, a proposta da banda é super interessante, com letras inspiradas em contos literários de vários autores, incluindo Lewis Carroll, que escreveu a série sobre Alice, de onde veio o nome do grupo.
A banda também é composta de uma galera super gente boa, e a harmonia entre eles é visível no palco. Pode até não ser verdade na íntegra (rsrs), mas eles passam a impressão de acreditarem nos mesmos ideais.
"...O 'Follow the Rabbit' nasceu com a convicção de que não se faz arte imitando os erros e acertos dos outros, mas na história individual de cada um de seus integrantes. Vidas e experiências que, juntas, criam algo único, genuíno. Um novo ser, vivo, pulsante, que vem ao mundo para escrever sua própria história, percorrer seu próprio caminho, deixando assim sua contribuição para as vidas daqueles que escolherem o acompanhar nessa jornada. Continuem seguindo seus coelhos, são eles que dirão quem você é e o caminho a seguir."...
Vale à pena conferir!!!
- Site Oficial
- Follow the Rabbit_myspace


15 de dezembro de 2009

Estatísticas


11 de dezembro de 2009

Enquanto você dormia...



... Era tarde e eu sofria Enquanto você dormia

... E a vida corre ligeira
A paz do sonho é passageira, Escorre na palma da mão
Na minha janela ainda chove
O sono chega e a noite morre, E eu adormeço na escuridão


...Foi-se a minha alegria Enquanto você dormia...


9 de dezembro de 2009

Sobre mulheres e bruxas

Recebi por email, e achei legal compartilhar...
Por que para os homens as mulheres são umas bruxas!?
- Porque elas chegam no fim do mês fazendo mágica com o dinheiro.
Porque estão ao mesmo tempo em vários lugares: lavando, passando, servindo a mesa, fazendo comida, cuidando de tudo!
Porque são capazes de se transformar em cobra, apenas com a olhada naquela loira que o seu namorado ou marido deu…
Porque podem ir voando até o lugar onde são necessárias.
Porque se comunicam com os animais (homens?) falando no idioma do amor.
Porque pressentem quando um amigo necessita de seus conselhos.
Porque praticam a telepatia, adivinhando os pensamentos daqueles a quem amam sem necessitar de palavras para traduzir.
Porque são várias pessoas em um só corpo: filha, irmã, esposa, mãe, amante, companheira e amiga!
Porque possuem o dom de adiantar-se aos acontecimentos só por intuição!
Porque magicamente são ambíguas: suaves como a seda mas com o interior de diamante.
E como se não bastasse tudo isso, ainda são responsáveis pela grande magia da vida - ser mãe...

E AINDA TEM HOMEM POR AÍ QUE SE ACHA O MÁXIMO!!!


6 de dezembro de 2009

Domingo...


"Esse dia tão temido que fica em lugar nenhum do meu calendário emocional; 
fica entre o carnaval e a quarta-feira de cinzas, entre o passado irremediável e o porvir imprevisível. Tão leve, tão inútil e, por isso, tão insuportavelmente pesado.
Desejo que nada importante aconteça nesse dia;
ninguém deve morrer ou nascer e os telefonemas, caso aconteçam,
devem ser fúteis e breves nesse dia, que, na verdade, não existe."

- Aluisio Aderaldo Mar -


5 de dezembro de 2009

...



Porque, às vezes,
o que chamamos de AMOR
não passa de um amontoado de coisas velhas
que não conseguimos jogar fora...


1 de dezembro de 2009

Estatísticas


28 de novembro de 2009

Coisas que a gente tem que escutar...



"I'm so broken 
- I can't even pay attention!"


23 de novembro de 2009

Piano stairs - TheFunTheory.com

A maioria dos humanos é previsível...
Diante de uma escada rolante e a outra convencional, qual você optaria para chegar ao seu destino? Obviamente quanto menos esforço melhor e por isso a grande maioria das pessoas optaria pela escada rolante.
Mas se sabemos que subir escadas pode ser um ótimo exercício capaz de melhorar nossa saúde, como mudar o comportamento das pessoas para que elas optem pela escada convencional?
Simples: Faça com que isso se torne divertido para elas.

Veja o que rolou em Estocolmo, capital da Suécia, numa iniciativa batizada de “Teoria do Divertimento”.
Uma iniciativa da Volkswagen, com uma ação de marketing que busca foco no bem estar e educação das pessoas.

Entre no site oficial - The Fun Theory - e veja mais!


20 de novembro de 2009

Dia da Consciência Negra

Eu fui procurar na net mais a respeito desse assunto antes de meter a boca, só pra me certificar de que eu sabia do que se tratava. E não estava errada.
A idéia é de lembrar a todos de que os negros fazem parte da nossa sociedade como iguais, afim de reafirmar o fim do preconceito.
- O Dia da Consciência Negra é celebrado em 20 de Novembro no Brasil e é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira.
Outros temas debatidos pela comunidade negra e que ganham evidência neste dia são: inserção do negro no mercado de trabalho, cotas universitárias, se há discriminação por parte da polícia, identificação de etnias, moda e beleza negra, etc. - - wikipédia
Fim do Preconceito?! Bom, agora eu posso meter a boca... afinal, essa história é bastante polêmica e na minha opinião, essa comemoração é um grande paradoxo, dando margens a mais preconceito ainda. Afinal, pra quê um feriado com essa intenção se eles são de fato iguais a nós?! Se é pra lembrar que eles são iguais, é porque o que predomina é o preconceito, e, pra mim, isso é abominável!


19 de novembro de 2009

Black Box

Dia 14 a banda Black Box se apresentou no Café Aurora e arrasou!
O repertório variado passa por quase todas as décadas desde Beatles e Rolling Stones a Live e REM, incluindo rock nacional.
Eu sei, vc vai dizer que isso não significa muito, já que quase todas as bandas fazem o mesmo. E eu vou dizer que de fato não importa muito o repertório - importa a banda!
E se vc me perguntar o que essa banda tem de diferente então, vou dizer que é a harmonia! O som é perfeito! - nem alto demais, nem grave demais, nem tem grito demais...
E - paranóia minha que tô sempre prestando atenção - eles cantam em inglês e não em "embromês", como eu sempre ouço por aí.
Vale à pena conferir!!


17 de novembro de 2009

...


- Ainda bem que o mundo é uma bola. 
Se fossem duas, seria um saco!! -


16 de novembro de 2009

Uma estória para refletir...

O pequeno Zeca entra em casa, após a aula, batendo forte os seus pés no assoalho da casa. 
Seu pai, que estava indo para o quintal para fazer alguns serviços na horta, ao ver aquilo chama o menino para uma conversa. Zeca, de oito anos de idade, acompanha-o desconfiado. Mas antes que seu pai dissesse alguma coisa, fala irritado:
- Pai, estou com muita raiva. O Juca não deveria ter feito isso comigo. Desejo tudo de ruim para ele. Quero matar esse cara!

Seu pai, um homem simples mas cheio de sabedoria, escuta calmamente o filho que continua a reclamar:
- O Juca me humilhou na frente dos meus amigos. Não aceito isso! Gostaria que ele ficasse doente sem poder ir à escola.

O pai escuta tudo calado enquanto caminha até um abrigo onde guardava um saco cheio de carvão. Levou o saco até o fundo do quintal e o menino o acompanhou, calado. 
Zeca vê o saco ser aberto e antes mesmo que ele pudesse fazer uma pergunta, o pai lhe propõe algo:
- Filho, faz de conta que aquela camisa branquinha que está secando no varal é o seu amigo Juca e cada pedaço de carvão é um mau pensamento seu, endereçado a ele. Quero que você jogue todo o carvão do saco na camisa, até  o último pedaço. Depois eu volto para ver como ficou.

O menino achou que seria uma brincadeira divertida e pôs mãos à obra. 
O varal com a camisa estava longe do menino e poucos pedaços acertavam o alvo. Uma hora se passou e o menino terminou a tarefa. O pai, que espiava tudo de longe, aproxima-se do menino e lhe pergunta:
- Filho como está se sentindo agora?
- Estou cansado, mas estou alegre porque acertei muitos pedaços de carvão na camisa.

O pai olha para o menino, que fica sem entender a razão daquela brincadeira, e carinhoso lhe fala:
- Venha comigo até o meu quarto, quero lhe mostrar uma coisa.

O filho acompanha o pai até o quarto e é colocado na frente de um grande espelho onde pode ver seu corpo todo. Que susto! Só se conseguia enxergar seus dentes e os olhinhos. O pai, então, lhe diz ternamente :
- Filho, você viu que a camisa quase não se sujou; mas, olhe só para você. O mau que desejamos aos outros é como o que lhe aconteceu. Por mais que possamos atrapalhar a vida de alguém com nossos pensamentos, a borra, os resíduos, a fuligem ficam sempre em nós mesmos.
"Cuidado com seus pensamentos; eles se transformam em palavras.
Cuidado com suas palavras; elas se transformam em ações.
Cuidados com suas ações; elas se transformam em hábitos.
Cuidado com seus hábitos; eles moldam o seu caráter.
Cuidado com seu caráter; ele controla o seu destino."


15 de novembro de 2009

Estatísticas


14 de novembro de 2009

Um dia...


"Um dia descobrimos que beijar uma pessoa para esquecer outra, é bobagem. Vc não só não esquece a outra pessoa como pensa muito mais nela...
Um dia nós percebemos que as mulheres tem extinto "caçador" e fazem qualquer homem sofrer...
Um dia descobrimos que se apaixonar é inevitável...
Um dia percebemos que as melhores provas de amor são as mais simples...
Um dia percebemos que o comum não nos atrai...
Um dia saberemos que ser classificado como o "bonzinho" não é bom...
Um dia percebemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em vc...
Um dia saberemos a importância da frase: "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas..."
Um dia percebemos que somos muito importante para alguém mas não damos valor a isso...
Um dia percebemos como aquele amigo faz falta, mas ai já é tarde demais...
Enfim... um dia descobrimos que apesar de viver quase 1 século esse tempo todo não é suficiente para realizarmos todos os nossos sonhos, para beijamos todas as bocas que nos atraem, para dizer tudo o que tem que ser dito...
O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutar para realizar todas as nossas loucuras...
Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação."


- Mário Quintana


10 de novembro de 2009

Sogras...

SOGRA TRANQUILA
Nome Cientifico: Sogronis nadelas



Uma espécie bem resolvida. Deixa o filhote livre para namorar sem fazer perguntas.
E ainda serve chá com biscoitos quando a(o) conhece. Migra varias vezes por ano, deixando a casa liberada. 

SOGRA JARARACA
Nome Cientifico: Sogronis peçonhentus


Essa é um perigo. Sua lingua venenosa acaba com as tentativas de namoro do filhote.
É o tipo mais comum.

SOGRA QUERIDA
Nome Cientifico: Sogronis simpaticcus



Espécie amorosa, que adota as namoradas(os), escuta seus problemas e torce pelo namoro.
Rara e em extinçao, quem captura não solta.

SOGRA INTROMETIDA
Nome Cientifico: Sogronis enxeridis


Se mete quando voce menos espera e adora elogiar a ex-namorada(o) dele(a). Vence sua presa no cansaço. Costuma ir morar com o filhote quando ele(a) se casa.

SOGRA DUPLA FACE
Nome Cientifico: Sogronis falsidis 



Faz a linha fina, mas na real quer puxar seu tapete. Nunca faz nada contra você perto do filhão (ona) para que ele(a) não acredite nas suas reclamações. Dê presentes ou arrume um macho para ela voltar a reproduzir.

SOGRA FASHION
Nome Cientifico: Sogronis modernetes



Ela não quer saber quem é você, mas o que você veste.. Se você for básica(o), já era. Para ela, nora ideal usa scarpin com meia, customiza o uniforme e faz artesanato com o copo de requeijão.

SOGRA TRABALHADORA
Nome Cientifico: Sogronis workaholic





Ela tem três empregos, faz hidroginastica, adora levar trabalho pra casa e quando você aparece te põe para trabalhar. Para ela, nora ideal tem que fazer tudo o que ela faz e ainda estar sempre sexy e bem-humorada. Para o filhote dela isso é o mínimo.

SOGRA IDEAL
Nome Cientifico: Sogronis defuntus


6 de novembro de 2009

...



5 de novembro de 2009

”De tanto ver triunfar as nulidades,
de tanto ver prosperar a desonra,
de tanto ver crescer a injustiça,
de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus,
o homem chega a desanimar da virtude,
a rir-se da honra,
a ter vergonha de ser honesto.”

(Ruy Barbosa)


1 de novembro de 2009

Estatísticas


31 de outubro de 2009

rsrsrs

Antes...


Depois!! rsrs



30 de outubro de 2009

Voltz no Café Aurora

Mais fotos aqui:
- Voltz - Café Aurora SP


28 de outubro de 2009

Eu e minha gata



26 de outubro de 2009

Sugestão BEM brasileira‏


Se em 2014 tem Copa do Mundo e em 2016 tem Olimpíadas, podíamos enforcar 2015, né? 
- Feriadão... uhuhuhuh


23 de outubro de 2009

No Quarter - Led Zeppelin na veia

Ontem passei umas 2 horas ouvindo Led Zeppelin, quase que ao vivo!! rsrs
A banda No Quarter se apresentou ontem no Café Aurora, e tenho que admitir - os caras são bons!!
Eles tem em seu repertório muitas músicas do Led Zeppelin, passando por todas as fases da carreira e seus maiores clássicos. O show é um autêntico tributo ao Led Zeppelin!!


- Esse foi o único vídeo decente que encontrei, só pra dar uma idéia...


22 de outubro de 2009

Banda VOLTZ no Café Aurora - SP

A Banda VOLTZ vem se apresentar pela 1a. vez no Café Aurora dia 28/10, e pra dar uma força, estou ajudando a divulgar essa apresentação. Pra quem não conhece a banda...
"Formada em 1999, o VOLTZ faz jus ao nome tanto no gênero musical – um rock energético, com guitarras distorcidas, bateria e baixo pulsante – quanto na trajetória. Vencedora do concurso “Dá Um Gás na Sua Banda”, uma parceria da Som Livre com o Guaraná Antarctica, em 2007, a banda comemorou o resultado no palco do GUARANÁ ANTARCTICA STREET FESTIVAL 2007 (GAS), em setembro do mesmo ano, arrebatando o jovem público presente. A vitória, entre cerca de 2.000 concorrentes, garantiu à banda a gravação do seu segundo CD – o primeiro pela Som Livre – com tiragem inicial de 10 mil exemplares."
Mais detalhes nos sites abaixo:
- http://www.myspace.com/voltzonline
- http://www.flogs.com.br/bandavoltz

Se alguém se interessar, entre em contato. Estou fazendo a lista de convidados!!
=))


19 de outubro de 2009

Hoje acordei com saudade...

Esses dias assisti de novo Paralamas em close-up. Passou na TV, eu nem imaginava a possiblidade e foi como se eu tivesse me transportado pros anos 90. Mas não só pros anos 90 simplesmente, mas pros anos da trilha sonora da minha vida, pros shows que eu assisti, pros amigos que eu fiz, pras festas e baladas regadas a muita água, dança e risada, pra época do colégio, pro meu primeiro emprego... foi mesmo como voltar no tempo, um tempo bom demais pra falar a verdade!
E deu uma saudade enorme, daquelas de cidade pequena, que os amigos são sempre os mesmos ainda que mudem com o tempo, e que as vendinhas tem sempre geladinho, algodão doce e suspiro pra vender, e que o céu é sempre azul, mesmo embaixo de tempestade, porque a vida é cor de rosa mesmo aos trancos e barrancos... Deu uma saudade enorme de cantar aquelas músicas com aqueles mesmos amigos, porque só eles sabem o cheiro e o sabor que cada uma delas tem, e seus tantos significados... a trilha sonora da minha vida, da vida deles, das nossas vidas... É, hoje acordei mesmo com muita saudade...


Itália 2009



Apesar de ter sido super corrido e ter conhecido apenas 3 cidades: ROMA, PERUGIA e ASSISI (Cidade de São Francisco de Assis) eu AMEI a viagem.

Perugia é muito, muito, muito velha, mas muito bonita!!
A cidade fica no morro! é um sobe e desce danado! Mas o mais legal é que tem escadas rolantes que saem da rodoviária (que fica na parte mais baixa da cidade) e sobem até a parte mais alta do centro histórico - muito legal essa idéia!!
E é cheia de vielas... zilhões de vielas!! Dá pra se perder no labirinto de vielas!!
O sol tava de arrasar! Amanhecia por volta de 5 da manhã, e escurecia por volta de 21h.
Lá tudo fecha das 13 as 16h, tudo mesmo, inclusive banco, por causa do almoço, e só abre depois disso.

Assisi é muito parecida com Perugia, também muito velha, mas tão linda!!
As ruas são estreitas, todas de paralelepípedo, e tudo muito rústico!!
Também fica no morro e é cheia de casinhas e lojinhas e barzinhos... tudo inho mesmo, tudo apertado, pequeno, mas muito muito lindo!!

Roma é outra coisa!!
Uma mistura de passado e presente, antigo e moderno, e com aspectos de 3o mundo como os que a gente vê aqui - muita gente, muita pixação, lugares abandonados...
O Coliseo é o monumento mais impressionante e fantástico que já vi até hoje! Tirei muitas fotos, mas nenhuma conseguiria traduzir o que senti ao estar lá, tão de perto.
Andar em Roma é como ver a história viva!

Aqui tem um "resumo geral" das fotos da viagem!


16 de outubro de 2009

Eu e Minha Nova Versão



15 de outubro de 2009

Estatísticas


13 de outubro de 2009

...

"Cada vez sobra mais mês no fim do dinheiro."


2 de outubro de 2009

Rio de Janeiro - Sede das Olimpíadas de 2016


Socorro!! Não vi o projeto apresentado, mas não gosto nada dessa idéia...
Depois de anunciada a vencedora, um dos principais comentários que ouvi na TV durante a comemoração foi que isso é muito bom pro nosso país, principalmente porque vamos ter a oportunidade de mostrar pro mundo do que o Brasil é feito e acabar com a reputação que temos de país para turismo sexual. Ha-ha-ha!
Posso estar muito enganada, mas a inauguração de abertura vai ser o que? - um desfile de carnaval?! Afinal, o samba não pode morrer, não é?!...
E eu só queria saber qual foi o argumento que usaram pra convencer de que o Rio seria seguro!!!...


1 de outubro de 2009

Estatísticas


23 de setembro de 2009

Libra (23 de setembro a 22 de outubro)

Você se acha equilibrado, idealista e justo. Parece sentir a necessidade de proteger os outros e lutar contra as injustiças. Na verdade, você só pensa em si mesmo. Você é um engomadinho metido.
Gosta de coisas sofisticadas e de alto nível, mas não passa de um ignorante desinformado. Nas conversas, quer falar sobre coisas intelectuais, como literatura e arte, e dificilmente entra em assuntos polêmicos. Quer ser politicamente correto. Na realidade você é um grande "fazedor de média". Isso esconde sua verdadeira cara. Dessa forma, os outros signos nunca saberão seu real nteresse, que é f... os outros. Afinal, você é um teimoso, ignorante e ambicioso.


15 de setembro de 2009

Pensando na vida...

Muitas vezes nos sentimos triste e mal-amados, como se nossas habilidades estivessem sendo desprezadas pelas pessoas que estão ao nosso redor. É uma sensação de derrota e de abandono como se nada fosse bom.
E aí precisamos despertar para as nossas capacidades. Não ficar esperando que os outros façam coisas por nós. Precisamos nos cuidar e tratar de ser fazer feliz. Encontrar disposição para continuar e não desistir de nossos objetivos.
Porém, sem achar que podemos mudar o mundo ou as pessoas à nossa volta. Cada um deve ser responsável por sua vida. E as pessoas não mudam simplesmente porque assim desejamos.
O desafio é assumir as rédeas da nossa vida, sem esperar pela aprovação dos outros. É acolher e aceitar as coisas boas da vida, sem guardar rancor, já que não existem nem amigos nem inimigos, mas "instrutores" no nosso caminho.
E tudo o que nos cerca tem uma justificativa e um objetivo, mesmo que não possamos compreender de imediato, e tem a função de nos ensinar alguma coisa, já que não existe ninguém totalmente vítima nem totalmente algoz. Como diz o ditado: "Deus dá a cada um exatamente a cruz que consegue carregar".
Pode ser até que as pessoas nos queiram muito bem, mas cada um nesta vida está preocupado com seus próprios desafios e metas, e isso não é egoísmo. A vida é assim mesmo. Precisamos aprender a conviver e a não depender dos demais. E nossa alegria deve ser cultivada dentro de nós...


Estatísticas


1 de setembro de 2009

Estatísticas


24 de agosto de 2009

Perugia - Italia!


Perugia e muito, muito, muito velha, mas muito bonita!!
A cidade fica no morro! é um sobe e desce danado! Mas o mais legal é que tem escadas rolantes que saem da rodoviaria (que fica na parte mais baixa da cidade) e sobem até a parte mais alta do centro historico - muito legal essa ideia!!E é cheia de vielas... milhoes de vielas!! Da pra se perder no labirinto de vielas!!
Claro que em 3 dias tenho umas 300 fotos, nem preciso dizer, né!!
O sol ta de arrasar! Amanhece por volta de 5 da manha, e escurece por volta de 21h. E sao 5 horas de diferença pra mais. Ou seja, ai é 12h, aqui é 17h.
Tudo fecha das 13 as 16h, por causa do almoço, e so abre depois disso.
Quase nao se tem opcao pra comprar nada. Tem muita loja chique e tudo muito caro.
Tem uma loja pequena em tamanho, mas GIGANTE em estoque e opçoes de CD!! Pena que tem MUUUUUUUITA COISA que a gente nunca ouviu e nao da pra ficar dentro da loja so ouvindo um pouco de cada coisa pra levar embora...
Eh isso! Assim que der, escrevo mais.


23 de agosto de 2009

Virgem (23 de agosto a 22 de setembro)

Você é metido a perfeccionista, observador e detalhista. Gosta de analisar e gerenciar tudo. Essa sua maldita mania faz de você um burocrata insuportável. Você é um bitolado e não tem nenhuma imaginação ou criatividade. Gosta mesmo é de tomar conta da vida dos outros. Critica os outros, "mete o pau", mas não enxerga o próprio rabo. Quando as pessoas dos outros signos do zodíaco preenchem aquele maldito formulário de 15 vias carbonadas, de cinco cores diferentes, que devem ser batidos à máquina, elas não tem dúvida. Só pode ser um virginiano que fez.


18 de agosto de 2009

Breakdown

- Seether


16 de agosto de 2009

A Vida com S é mais Gostosa!

Eu AMEI este comercial!!
=))


15 de agosto de 2009

Estatísticas


12 de agosto de 2009

No estacionamento do supermercado...

 


5 de agosto de 2009

Cidadania Italiana

Olha só, se vc quer tirar sua cidadania, tem uma coisa que vc já pode fazer já!!

Antes de qualquer coisa, já entra no site do consulado italiano e pede um agendamento pra legalização de documentos - vai ser lá pra 2014, então, já faz hoje!! rsrs
Com esse agendamento vc pode legalizar tudo e ir pra Itália buscar a cidadania. Sem esse agendamento, vc vai ter que rebolar muito no consulado pra eles legalizarem tudo pra vc, e mesmo assim, vai pagar a taxa mais cara por ter sido de "emergência".

Bom, com esse agendamento feito, vc vai precisar dos seguintes documentos:
- certidão de nascimento, casamento e óbito (se for o caso), do seu parente italiano.
- certidão de nascimento e casamento do seu pai ou mãe (o que for o filho do parente italiano)
- certidão de nascimento sua
- comprovante de endereço no seu nome
- certidão do cartório eleitoral com endereço (o cartório dá na hora, ou no dia seguinte)
- certidão negativa de naturalização do seu parente italiano - essa vc só consegue mandando uma carta pra Brasília e leva uns 4/6 meses pra vc receber de volta!!

E vc vai ter que traduzir tudo para o italiano.

Bom, aí prepara o bolso!!
- certidão italianda do seu parente = 100,00
- tradução das certidões brasileiras = 61,50 / 75,00 cada
- legalização no consulado = 50,00 cada par de certidão (brasileira + tradução) - tudo tem que ser pago no mesmo dia em que vc for ao consulado, em dinheiro, no banco que eles te indicam.

Depois disso tudo feito, e de tudo legalizado, aí vc tem 2 escolhas:
1 - pagar um advogado na itália = +/- 2500 e 4000 euros e sua cidadania fica pronta em 15 dias praticamente, e vc não precisa ficar lá por mais de 1 semana!

2 - morar na itália por pelo menos 3 meses... vc tem que ir daqui pra lá direto, vôo sem escala, e arrumar um lugar pra morar, pra vc ter um comprovante de endereço.
Com o comprovante de endereço, vc mesma leva todos os documentos e dá entrada na comune (prefeitura) pedindo a cidadania. E aí espera a comune te fazer uma visita, pra comprovar que vc mora lá mesmo. Pode ser que a visita aconteça em 15 dias, pode ser que aconteça em 6 meses... mas o prazo em média é de 3 meses.

Agora, independente de qualquer coisa, faça o agendamento no consulado italiano, mesmo se vc não sabe se vai fazer a cidadania. Não tem problema vc ficar cadastrado com o agendamento. E se depois vc desistir, é só não comparecer. O agendamento é de graça e vc não paga nada se não comparecer.
Porque sem esse agendamento, é mais difícil... Vc só vai poder legalizar 3 documentos de cada vez, se eles quiserem fazer isso. (e eles são horríveis, grossos, e só fazem o que querem, viu!!)
E se mais alguém da sua família também for fazer junto com vc (irmão/irmã/tio), eles também tem que fazer o agendamento junto com vc. Os documentos vão ser os mesmos, mas o agendamento tem que estar no nome de cada um...

Como vc pode ver, dá um pouco de trabalho, e gasta um bom dinheiro.rsrs
Boa Sorte a todos que querem a cidadania!!
=))


4 de agosto de 2009

Gente de valor

"Há alguns dias reluto em entrar num assunto que me incomoda. Na verdade não só a mim, como a muitas outras pessoas com quem tenho o prazer de conviver diariamente. Digo pessoas pois uma daquelas coincidências do destino, me fez ver que, mais uma vez, isto não é um problema isolado.
Não é em termos, pois como homem, posso me dar ao luxo de ignorar o assunto. Porém, não me considero um homem moderno em termos de comportamento "conjugal". Sou das antigas, abro porta de carro, tiro o paletó em dia de frio para proteger a companhia, tomo chuva se o guada-chuva for pequeno.
Mas em diferentes conversas, percebi que há um certo consenso na desvalorização da mulher. Calma, não são todos os casos, mas vejo que gente muito bonita, inteligente e sociável tem reclamado a falta de parceiros. A maior queixa é encontrar homens que só pensam na próxima conquista, como se estivessem fazendo marcas na cabeceira da cama para controlar o ritmo do "abate". Homens que desistem ao primeiro sinal de dificuldade na obtenção do objetivo principal que norteia seu comportamento ao sair com uma garota, passar a noite juntos.
Ora senhores, e porque não leitoras também, será que as relações sentimentais estão reduzidas à uma noite de prazer? Será que a conquista física é realmente superior em qualidade e bem estar, sobre uma conquista amorosa? Será que devemos nos contentar em viver solitários, enquanto provamos um parceiro por noite?
Acredito que não, sinceramente acredito que o sexo é resultado de uma relação mais profunda que a camada de perfume que passamos ao sair de casa. Sexo não é nem de longe uma experiência que valha a pena ser comparada com o ato de fazer amor. Sem amor é apenas um ato mecânico que pode ser comercializado nas melhores casas noturnas de São Paulo. O livro da Bruna Surfistinha está aí para provar isto.
Sei que o homem é um ser incorrigível, que ainda sucumbe àquela parte do cérebro que carrega um tacape e veste uma pele de leopardo, mas o próprio homem não consegue mais perceber que a satisfação física imediata, contribui para o grande vazio que se forma dentro de seu peito com o passar do tempo.
Às mulheres, pouco adianta recomendar, tenho a impressão que há muito mais mulheres solteiras disponíveis do que homens. Para um professor de marketing, isto equivale a dizer que o preço de mercado está caindo porque a oferta é grande. Querem saber, já caiu, pois hoje ninguém leva flores ou chocolates, quem abre a porta é o manobrista, quem a paga a conta sem dividir é trouxa.
Estão errados? claro que sim, mas quando encontramos muitas mulheres que aceitam se sujeitar a isto, não haverá sinal de mudança no ar. Perdemos todos com isto.
Não sou dono da verdade, mas me parece que quanto mais as mulheres se desvalorizam, menos os homens estão dispostos a pagar. Caindo assim numa espiral descendente, transformando a mulher em popozuda, cachorra, bandida entre tantos outros apelidos generosos e elogiosos.
Depois não adianta reclamar que ninguém respeita ninguém."

- Não sei quem é o autor


1 de agosto de 2009

A Ironia Em Seu Melhor Estilo...

2000 pessoas contraem a gripe suína
e todo mundo já quer usar máscara.
...
25 milhões de pessoas tem AIDS
e ninguém quer usar preservativo.


Estatísticas


29 de julho de 2009

Que Será?...

O que você acha que faz uma pessoa, no meio de um monte de outras, ser especial pra vc? E a recíproca ser verdadeira?
Será que tem a ver com almas gêmeas e momentos mágicos? Será que tem a ver com afinidades físicas? Será que tem a ver com astrologia, que os signos se atraem proporcionando sintonia?
Será que tem a ver com matemática, que a cada 100 que passar, a 101a. será aquela que chamará a atenção? ou com a teoria da probabilidade?
Que será? Que será que alimenta essa atração de dois completos desconhecidos? que elementos reagem nessa mistura? que combinação será essa que faz a gente perceber, mesmo no meio de outras tantas, uma única pessoa? e ser percebida por ela também?


28 de julho de 2009

19 Visitantes?!


Wow!!!
Enquanto estava aqui dando uma lida nos posts antigos, rolando as páginas, tive a chance de reparar o número de visitantes online no blog - 19!!
Não pensei 2 vezes - printei a tela, só pra registrar este momento!!
Pra alguns, isso vai parecer piada, e até bobagem, mas
pra mim, parece motivo pra comemorar!! rsrs
Eu nunca imaginei tanta gente passando por aqui, pelo menos, não tanta gente diferente ao mesmo tempo!! Nem acredito!!

Nem preciso dizer que estou super feliz, né!!

- Obrigada a todos que passam por aqui!!
=))


26 de julho de 2009

Convivência

Como é possível conhecer alguém com quem não se conversa?
Fico pensando... tem gente que tem uma mania incrível de montar uma história inteira, com as falas, personagens, fatos e até desfechos, sem nem mesmo sequer ter passado pela determinada situação...
Não perguntam nada, nem mesmo pra dar a chance do outro responder, nem pra interagir, que seja, e como a história tá toda pronta na cabeça deles, ela vira verdade, e isso basta. Basta pra tomar atitude, pra julgar como quiser, e cobrar o que acha que tem direito...
Como isso é possível?!
Todo mundo reclama que eu pergunto demais. Até minha sobrinha, que tem 8 anos, esses dias veio resmungar comigo, dizendo que eu pergunto demais... Eu concordo, pergunto mesmo, pergunto tudo - embora agora, depois de anos de experiência, eu só pergunte aquilo que realmente quero saber -, e ainda me pergunto como é que se convive sem perguntar nada...
Posso explodir de raiva com as respostas que recebo, posso ficar chateada, triste, e até me sentir injustiçada, mas prefiro assim, pelo menos tenho a chance de saber o que aconteceu e dou a chance do outro contar...
Se isso começa uma briga? Dá confusão? Acho que sim. Bom, pelo menos na maioria da vezes. Mas eu prefiro viver em paz verdadeira
, transparente, nem que pra isso, eu tenha que começar uma guerra.


24 de julho de 2009

O Coração Delator

Eu sou fã de Edgar Allan Poe, e acho que esse texto explica bem o porquê...

O Coração Delator
- Edgar Allan Poe -
É verdade! Nervoso, muito, muito nervoso mesmo eu estive e estou; mas por que você vai dizer que estou louco? A doença exacerbou meus sentidos, não os destruiu, não os embotou. Mais que os outros estava aguçado o sentido da audição. Ouvi todas as coisas no céu e na terra. Ouvi muitas coisas no inferno. Como então posso estar louco? Preste atenção! E observe com que sanidade, com que calma, posso lhe contar toda a história.

É impossível saber como a idéia penetrou pela primeira vez no meu cérebro, mas, uma vez concebida, ela me atormentou dia e noite. Objetivo não havia. Paixão não havia. Eu gostava do velho. Ele nunca me fez mal. Ele nunca me insultou. Seu ouro eu não desejava. Acho que era seu olho! É, era isso! Um de seus olhos parecia o de um abutre - um olho azul claro coberto por um véu. Sempre que caía sobre mim o meu sangue gelava, e então pouco a pouco, bem devagar, tomei a decisão de tirar a vida do velho, e com isso me livrar do olho, para sempre.

Agora esse é o ponto. O senhor acha que sou louco. Homens loucos de nada sabem. Mas deveria ter-me visto. Deveria ter visto com que sensatez eu agi — com que precaução —, com que prudência, com que dissimulação, pus mãos à obra! Nunca fui tão gentil com o velho como durante toda a semana antes de matá-lo. E todas as noites, por volta de meia-noite, eu girava o trinco da sua porta e a abria, ah, com tanta delicadeza! E então, quando tinha conseguido uma abertura suficiente para minha cabeça, punha lá dentro uma lanterna furta-fogo bem fechada, fechada para que nenhuma luz brilhasse, e então eu passava a cabeça. Ah! o senhor teria rido se visse com que habilidade eu a passava. Eu a movia devagar, muito, muito devagar, para não perturbar o sono do velho. Levava uma hora para passar a cabeça toda pela abertura, o mais à frente possível, para que pudesse vê-lo deitado em sua cama. Aha! Teria um louco sido assim tão esperto? E então, quando minha cabeça estava bem dentro do quarto, eu abria a lanterna com cuidado — ah!, com tanto cuidado! —, com cuidado (porque a dobradiça rangia), eu a abria só o suficiente para que um raiozinho fino de luz caísse sobre o olho do abutre. E fiz isso por sete longas noites, todas as noites à meia-noite em ponto, mas eu sempre encontrava o olho fechado, e então era impossível fazer o trabalho, porque não era o velho que me exasperava, e sim seu Olho Maligno. E todas as manhãs, quando o dia raiava, eu entrava corajosamente no quarto e falava Com ele cheio de coragem, chamando-o pelo nome em tom cordial e perguntando como tinha passado a noite. Então, o senhor vê que ele teria que ter sido, na verdade, um velho muito astuto, para suspeitar que todas as noites, à meia-noite em ponto, eu o observava enquanto dormia.

Na oitava noite, eu tomei um cuidado ainda maior ao abrir a porta. O ponteiro de minutos de um relógio se move mais depressa do que então a minha mão. Nunca antes daquela noite eu sentira a extensão de meus próprios poderes, de minha sagacidade. Eu mal conseguia conter meu sentimento de triunfo. Pensar que lá estava eu, abrindo pouco a pouco a porta, e ele sequer suspeitava de meus atos ou pensamentos secretos. Cheguei a rir com essa idéia, e ele talvez tenha ouvido, porque de repente se mexeu na cama como num sobressalto. Agora o senhor pode pensar que eu recuei — mas não. Seu quarto estava preto como breu com aquela escuridão espessa (porque as venezianas estavam bem fechadas, de medo de ladrões) e então eu soube que ele não poderia ver a porta sendo aberta e continuei a empurrá-la mais, e mais.

Minha cabeça estava dentro e eu quase abrindo a lanterna quando meu polegar deslizou sobre a lingüeta de metal e o velho deu um pulo na cama, gritando:
— Quem está aí?

Fiquei imóvel e em silêncio. Por uma hora inteira não movi um músculo, e durante esse tempo não o ouvi se deitar. Ele continuava sentado na cama, ouvindo bem como eu havia feito noite após noite prestando atenção aos relógios fúnebres na parede.

Nesse instante, ouvi um leve gemido, e eu soube que era o gemido do terror mortal. Não era um gemido de dor ou de tristeza — ah, não! era o som fraco e abafado que sobe do fundo da alma quando sobrecarregada de terror. Eu conhecia bem aquele som. Muitas noites, à meia-noite em ponto, ele brotara de meu próprio peito, aprofundando, com seu eco pavoroso, os terrores que me perturbavam. Digo que os conhecia bem. Eu sabia o que sentia o velho e me apiedava dele embora risse por dentro. Eu sabia que ele estivera desperto, desde o primeiro barulhinho, quando se virara na cama. Seus medos foram desde então crescendo dentro dele. Ele estivera tentando fazer de conta que eram infundados, mas não conseguira. Dissera consigo mesmo: "Isto não passa do vento na chaminé; é apenas um camundongo andando pelo chão", ou "É só um grilo cricrilando um pouco". É, ele estivera tentando confortar-se com tais suposições; mas descobrira ser tudo em vão. Tudo em vão, porque a Morte ao se aproximar o atacara de frente com sua sombra negra e com ela envolvera a vítima. E a fúnebre influência da despercebida sombra fizera com que sentisse, ainda que não visse ou ouvisse, sentisse a presença da minha cabeça dentro do quarto.

Quando já havia esperado por muito tempo e com muita paciência sem ouvi-lo se deitar, decidi abrir uma fenda — uma fenda muito, muito pequena na lanterna. Então eu a abri — o senhor não pode imaginar com que gestos furtivos, tão furtivos — até que afinal um único raio pálido como o fio da aranha brotou da fenda e caiu sobre o olho do abutre.

Ele estava aberto, muito, muito aberto, e fui ficando furioso enquanto o fitava. Eu o vi com perfeita clareza - todo de um azul fosco e coberto por um véu medonho que enregelou até a medula dos meus ossos, mas era tudo o que eu podia ver do rosto ou do corpo do velho, pois dirigira o raio, como por instinto, exatamente para o ponto maldito.

E agora, eu não lhe disse que aquilo que o senhor tomou por loucura não passava de hiperagudeza dos sentidos? Agora, repito, chegou a meus ouvidos um ruído baixo, surdo e rápido, algo como faz um relógio quando envolto em algodão. Eu também conhecia bem aquele som. Eram as batidas do coração do velho. Aquilo aumentou a minha fúria, como o bater do tambor instiga a coragem do soldado.

Mas mesmo então eu me contive e continuei imóvel. Quase não respirava. Segurava imóvel a lanterna. Tentei ao máximo possível manter o raio sobre o olho. Enquanto isso, aumentava o diabólico tamborilar do coração. Ficava a cada instante mais e mais rápido, mais e mais alto. O terror do velho deve ter sido extremo. Ficava mais alto, estou dizendo, mais alto a cada instante! — está me entendendo? Eu lhe disse que estou nervoso: estou mesmo. E agora, altas horas da noite, em meio ao silêncio pavoroso dessa casa velha, um ruído tão estranho quanto esse me levou ao terror incontrolável. Ainda assim por mais alguns minutos me contive e continuei imóvel. Mas as batidas ficaram mais altas, mais altas! Achei que o coração iria explodir. E agora uma nova ansiedade tomava conta de mim — o som seria ouvido por um vizinho! Chegara a hora do velho! Com um berro, abri por completo a lanterna e saltei para dentro do quarto. Ele deu um grito agudo — um só. Num instante, arrastei-o para o chão e derrubei sobre ele a cama pesada. Então sorri contente, ao ver meu ato tão adiantado. Mas por muitos minutos o coração bateu com um som amortecido. Aquilo, entretanto, não me exasperou; não seria ouvido através da parede. Por fim, cessou. O velho estava morto. Afastei a cama e examinei o cadáver. É, estava morto, bem morto. Pus a mão sobre seu coração e a mantive ali por muitos minutos. Não havia pulsação. Ele estava bem morto. Seu olho não me perturbaria mais.

Se ainda me acha louco, não mais pensará assim quando eu descrever as sensatas precauções que tomei para ocultar o corpo. A noite avançava, e trabalhei depressa, mas em silêncio. Antes de tudo desmembrei o cadáver. Separei a cabeça, os braços e as pernas.

Arranquei três tábuas do assoalho do quarto e depositei tudo entre as vigas. Recoloquei então as pranchas com tanta habilidade e astúcia que nenhum olho humano — nem mesmo o dele — poderia detectar algo de errado. Nada havia a ser lavado — nenhuma mancha de qualquer tipo — nenhuma marca de sangue. Eu fora muito cauteloso. Uma tina absorvera tudo - ha! ha!

Quando terminei todo aquele trabalho, eram quatro horas — ainda tão escuro quanto à meia-noite.
Quando o sino deu as horas, houve uma batida à porta da rua. Desci para abrir com o coração leve — pois o que tinha agora a temer? Entraram três homens, que se apresentaram, com perfeita suavidade, como oficiais de polícia. Um grito fora ouvido por um vizinho durante a noite; suspeitas de traição haviam sido levantadas; uma queixa fora apresentada à delegacia e eles (os policiais) haviam sido encarregados de examinar o local.

Sorri — pois o que tinha a temer? Dei as boas-vindas aos senhores. O grito, disse, fora meu, num sonho. O velho, mencionei, estava fora, no campo. Acompanhei minhas visitas por toda a casa. Incentivei-os a procurar — procurar bem. Levei-os, por fim, ao quarto dele. Mostrei-lhes seus tesouros, seguro, imperturbável. No entusiasmo de minha confiança, levei cadeiras para o quarto e convidei-os para ali descansarem de seus afazeres, enquanto eu mesmo, na louca audácia de um triunfo perfeito, instalei minha própria cadeira exatamente no ponto sob o qual repousava o cadáver da vítima.

Os oficiais estavam satisfeitos. Meus modos os haviam convencido. Eu estava bastante à vontade. Sentaram-se e, enquanto eu respondia animado, falaram de coisas familiares. Mas, pouco depois, senti que empalidecia e desejei que se fossem. Minha cabeça doía e me parecia sentir um zumbido nos ouvidos; mas eles continuavam sentados e continuavam a falar. O zumbido ficou mais claro — continuava e ficava mais claro: falei com mais vivacidade para me livrar da sensação: mas ela continuou e se instalou — até que, afinal, descobri que o barulho não estava dentro de meus ouvidos.

Sem dúvida agora fiquei muito pálido; mas falei com mais fluência, e em voz mais alta. Mas o som crescia - e o que eu podia fazer? Era um som baixo, surdo, rápido — muito parecido com o som que faz um relógio quando envolto em algodão. Arfei em busca de ar, e os policiais ainda não o ouviam. Falei mais depressa, com mais intensidade, mas o barulho continuava a crescer. Levantei-me e discuti sobre ninharias, num tom alto e gesticulando com ênfase; mas o barulho continuava a crescer. Por que eles não podiam ir embora? Andei de um lado para outro a passos largos e pesados, como se me enfurecessem as observações dos homens, mas o barulho continuava a crescer. Ai meu Deus! O que eu poderia fazer? Espumei — vociferei — xinguei! Sacudi a cadeira na qual estivera sentado e arrastei-a pelas tábuas, mas o barulho abafava tudo e continuava a crescer. Ficou mais alto — mais alto — mais alto! E os homens ainda conversavam animadamente, e sorriam. Seria possível que não ouvissem? Deus Todo-Poderoso! — não, não? Eles ouviam! — eles suspeitavam! — eles sabiam! - Eles estavam zombando do meu horror! — Assim pensei e assim penso. Mas qualquer coisa seria melhor do que essa agonia! Qualquer coisa seria mais tolerável do que esse escárnio. Eu não poderia suportar por mais tempo aqueles sorrisos hipócritas! Senti que precisava gritar ou morrer! — e agora — de novo — ouça! mais alto! mais alto! mais alto! mais alto!

— Miseráveis! — berrei — Não disfarcem mais! Admito o que fiz! levantem as pranchas! — aqui, aqui! — são as batidas do horrendo coração!