31 de dezembro de 2009

Feliz 2010!!

"Não há de ser nada, pois sei que a madrugada acaba
quando a lua se põe..."


Esse ano foi uma loucura... novas amizades, novo emprego, novas conquistas... tantas coisas aconteceram que eu nem acredito que tudo coube num ano só... 
Mas muitas outras poderiam ter acontecido também, se eu tivesse dado mais chance, ou mais tempo, ou mais atenção... E o pior é que mesmo se eu fizesse uma lista de tudo o mais que eu gostaria de ter feito pra lembrar de fazer em 2010, sei que não será possível, porque sei que cada dia trará um novo desafio, uma nova emoção, um novo sentimento que me "consumirá" de forma plena e absoluta, me impedindo de "incluir mais itens" pra viver, ou pra sentir, ou pra fazer... 
Então, em 2010, desejo que a gente possa perceber mais atentamente tudo o que está a nossa volta e alimentar nossa alma com infinitas sensações; que nossos sonhos nunca se acabem e que possamos ser pessoas melhores; e que a gente acredite mais que a vida é feita de magia e quando a gente menos espera tudo pode acontecer...

- Feliz 2010 pra todos nós!!


30 de dezembro de 2009

O Teatro Mágico

- Sobra Tanta Falta...


...sobram tantas meias verdades que guardo pra mim mesmo...
...sobra tanto espaço dentro do abraço...


27 de dezembro de 2009

Miles Away...



...Too much of no sound
Uncomfortable silence can be so loud...

...So far away
...When I'm gone you'll realize
That I'm the best thing that happened to you...


24 de dezembro de 2009

Electron Love Theory

Sei lá quando foi, navegando à toa na net, acabei encontrando Electron Love Theory. Consegui 2 músicas apenas, e nada mais.
Hoje, não sei porque, resolvi dar uma olhada, ver se achava mais alguma música deles, e pra minha surpresa!, o site deles agora tá cheio de músicas novas! Adorei!!
Pra quem não conhece, a criação de escritor, músico, e produtor Jeff Leisawitz - electron Love Theory foi comparado com artistas tal como Dido, Portishead, e Everything But the Girl. Eu não entendo nada de música, mas logo de cara adorei as composições, as batidas..
Infelizmente não tem nenhum vídeo com nenhuma música pra eu postar aqui,  então, quem quiser saber mais, vai ter que visitar o site - Electron Love Theory!
- Espero que vcs gostem também!!



22 de dezembro de 2009

Viagem ou Viajem - alguém sabe?!

Eu sempre escrevi viagem com "G", mas vejo que muita gente esceve com "J", e ainda que vc pergunte qual a diferença, tenho certeza que vc vai ouvir vários devaneios e delírios literários na tentativa de explicar e a maioria com certeza não vai conseguir, por mais que se esforce!!
Também, não é pra menos... Diz se vc conseguiria chegar a essa explicação de cara, assim, sem nem pensar no assunto?! rsrs

- "Viagem" (com g), é substantivo e significa "ato de ir de um a outro lugar"; jornada, caminhada".
Ex.: A minha viagem ao interior de Minas Gerais deu-se em dezembro.

- "Viajem" (com j), é a terceira pessoa do plural do presente do subjuntivo do verbo Viajar.
Ex.: Ainda que eles viajem cedo, não chegarão em tempo.

Obs.: Presente do subjuntivo, então?! Nem fale... vão perguntar se é de comer!! rsrs


20 de dezembro de 2009

Mulheres Possíveis

Nem preciso dizer que sou fã da Martha Medeiros, e amei esse texto!!
Minha irmã me mandou por email, e apesar do texto não ser meu, quero dedicá-lo a todas as mulheres batalhadoras, talentosas e ocupadíssimas que existem por aí!!!
“Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é possível, me ofereço como piloto de testes.
Sou a Miss Imperfeita, muito prazer.
Uma imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional, mãe e mulher que também sou:
Trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao supermercado três vezes por semana, decido o cardápio das refeições, levo os filhos no colégio e busco, almoço com eles, estudo com eles, telefono para minha mãe todas as noites, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de e-mails, faço revisões no dentista, mamografia, caminho meia hora diariamente, compro flores para casa, providencio os consertos domésticos, participo de eventos e reuniões ligados à minha profissão e ainda faço escova toda semana - e as unhas!
E, entre uma coisa e outra, leio livros.
Portanto, sou ocupada, mas não uma workaholic.
Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres.
Primeiro: a dizer NÃO.
Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO. Culpa por nada, aliás.
Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero.Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.
Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para os outros.
Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse direitinho.
Você não é Nossa Senhora.
Você é, humildemente, uma mulher.E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante.
Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável. É ter tempo.
Tempo para fazer nada.
Tempo para fazer tudo.
Tempo para dançar sozinha na sala.
Tempo para bisbilhotar uma loja de discos.
Tempo para sumir dois dias com seu amor.
Três dias. Cinco dias!
Tempo para uma massagem.
Tempo para ver a novela.
Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza.
Tempo para fazer um trabalho voluntário.
Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto.
Tempo para conhecer outras pessoas.Voltar a estudar.Para engravidar.
Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado.
Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir.
Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal.
Existir, a que será que se destina?
Destina-se a ter o tempo a favor, e não contra.
A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada.
Está tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem.
Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si.
Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo! Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.
Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir.
Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela.
Desacelerar tem um custo.
Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M.A.C. Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores.E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante.”

- MARTHA MEDEIROS - Revista do Jornal O GLOBO


18 de dezembro de 2009

Follow the Rabbit


Eu tô meio atrasada com esse post, mas antes tarde do que nunca, né....
No domingo passado rolou um festival no Café Aurora e eu tive a chance de conhecer a Follow the Rabbit, uma banda de rock alternativo, com um som mais pesado, sem ser uma tortura.
Além disso, a proposta da banda é super interessante, com letras inspiradas em contos literários de vários autores, incluindo Lewis Carroll, que escreveu a série sobre Alice, de onde veio o nome do grupo.
A banda também é composta de uma galera super gente boa, e a harmonia entre eles é visível no palco. Pode até não ser verdade na íntegra (rsrs), mas eles passam a impressão de acreditarem nos mesmos ideais.
"...O 'Follow the Rabbit' nasceu com a convicção de que não se faz arte imitando os erros e acertos dos outros, mas na história individual de cada um de seus integrantes. Vidas e experiências que, juntas, criam algo único, genuíno. Um novo ser, vivo, pulsante, que vem ao mundo para escrever sua própria história, percorrer seu próprio caminho, deixando assim sua contribuição para as vidas daqueles que escolherem o acompanhar nessa jornada. Continuem seguindo seus coelhos, são eles que dirão quem você é e o caminho a seguir."...
Vale à pena conferir!!!
- Site Oficial
- Follow the Rabbit_myspace


15 de dezembro de 2009

Estatísticas


11 de dezembro de 2009

Enquanto você dormia...



... Era tarde e eu sofria Enquanto você dormia

... E a vida corre ligeira
A paz do sonho é passageira, Escorre na palma da mão
Na minha janela ainda chove
O sono chega e a noite morre, E eu adormeço na escuridão


...Foi-se a minha alegria Enquanto você dormia...


9 de dezembro de 2009

Sobre mulheres e bruxas

Recebi por email, e achei legal compartilhar...
Por que para os homens as mulheres são umas bruxas!?
- Porque elas chegam no fim do mês fazendo mágica com o dinheiro.
Porque estão ao mesmo tempo em vários lugares: lavando, passando, servindo a mesa, fazendo comida, cuidando de tudo!
Porque são capazes de se transformar em cobra, apenas com a olhada naquela loira que o seu namorado ou marido deu…
Porque podem ir voando até o lugar onde são necessárias.
Porque se comunicam com os animais (homens?) falando no idioma do amor.
Porque pressentem quando um amigo necessita de seus conselhos.
Porque praticam a telepatia, adivinhando os pensamentos daqueles a quem amam sem necessitar de palavras para traduzir.
Porque são várias pessoas em um só corpo: filha, irmã, esposa, mãe, amante, companheira e amiga!
Porque possuem o dom de adiantar-se aos acontecimentos só por intuição!
Porque magicamente são ambíguas: suaves como a seda mas com o interior de diamante.
E como se não bastasse tudo isso, ainda são responsáveis pela grande magia da vida - ser mãe...

E AINDA TEM HOMEM POR AÍ QUE SE ACHA O MÁXIMO!!!


6 de dezembro de 2009

Domingo...


"Esse dia tão temido que fica em lugar nenhum do meu calendário emocional; 
fica entre o carnaval e a quarta-feira de cinzas, entre o passado irremediável e o porvir imprevisível. Tão leve, tão inútil e, por isso, tão insuportavelmente pesado.
Desejo que nada importante aconteça nesse dia;
ninguém deve morrer ou nascer e os telefonemas, caso aconteçam,
devem ser fúteis e breves nesse dia, que, na verdade, não existe."

- Aluisio Aderaldo Mar -


5 de dezembro de 2009

...



Porque, às vezes,
o que chamamos de AMOR
não passa de um amontoado de coisas velhas
que não conseguimos jogar fora...


1 de dezembro de 2009

Estatísticas