13 de janeiro de 2010

Figurinha repetida não preenche álbum!

"...Agora quando eu estou melhorando
Você me aparece pra me aborrecer
..."

- judiaria, Arnaldo Antunes -

O ser humano é um bicho engraçado. Estranho até, eu diria. Só percebe que era feliz quando está no meio de um furacão, só se dá conta das besteiras que faz quando alguém joga na cara deles, só dá valor às pessoas depois que perde.
E disso eu posso falar.

Estou sempre ouvindo histórias do tipo: - "há... a gente vivia brigando, e só agora que acabou é que percebi que ele é o amor da minha vida", "puxa, eu sei que casei, mas morro de saudade da ex, não paro de pensar nela um segundo sequer", "fui eu que terminei, mas eu te quero pra sempre, e vc sempre vai ter prioridade na minha vida", "nossa, como tudo era perfeito com vc, não sei porque fiz tudo aquilo pra te magoar", "caramba, vc é a mulher da minha vida e sempre será, mesmo que eu já esteja com outra"... 

Ah... me poupe!! Já está com outra, então vai ficar com ela. Já se casou, então me esquece. Já me magoou e o tempo passou, presta atenção pra não magoar o próximo e segue a vida. Bola pra frente que atrás vem gente. Vai secar gelo, vai pentear macaco, vai chupar prego pra ver se vira tachinha... vai cuidar da sua vida e deixe que eu cuide da minha, oras.

Ninguém merece! Se vc fosse a cereja que faltava no bolo, se fosse o tijolinho que faltava pra terminar a construção, se vc fosse mesmo a figurinha que faltava pra completar o álbum, teria completado. Se acabou, é porque vc não é.

E ficar nessa, acreditar nesse papo pra boi dormir não leva a nada. Tá, saber que foi especial, que foi bom e que deixou saudade é legal? É! Mas figurinha repetida definitivamente não preenche álbum... Move on!!


Um comentário :

Fábio Mayer disse...

Pathy,

Judiaria é de autoria do compositor gaúcho Lupicínio Rodrigues, o mesmo que compôs o hino do Grêmio Foot Ball Porto Alegrense.

E sobre o assunto, tem gente que gosta de sofrer e pior, vicia no sofrimento... porque casar, namorar ou viver com um (a) traste e viver brigando, é coisa de doente mental grave... relacionamentos assim destróem as pessoas.