12 de janeiro de 2010

A vida como ela é!...

Eles se conheceram num domingo qualquer.
Ele, um cara bacana. Lindo, educado, interessante. De olhar intenso, que faz as pernas dela tremerem!
Ela, uma garota bacana. Linda, simpática, interessante, tímida até. Dona de um sorriso lindo, que ilumina o dia!
Ela gostou dele logo de cara. Ele, discreto, passou o dia perto dela. Conversaram um pouco, sobre coisas comuns, música, trabalho. Descobriram que fazem aniversário quase juntos, só alguns dias de diferença. E quando ela pensou em convidá-lo para "comemorar" o aniversário atrasado, ele foi embora com outra garota...

Dias depois, tentando falar com um amigo, sem querer ela liga pro número errado, 2 vezes, e alguém, com uma voz irresistível, atende. Ela pede desculpas pela confusão e desliga. Mas não resiste, manda uma msg pra ele, ele responde, e uma história começa...
Eles trocam emails o dia todo. Não se conhecem, mas descobrem que têm muitas coisas em comum. Apesar da distância virtual, eles se aproximam, falam de meias, música e futebol, riem juntos de situações engraçadas, e quando não se "falam", sentem saudade.

Numa amadilha do acaso, sem nunca imaginar que seria possível, ela descobre que eles já se conhecem, e se vê numa saia-justa...
Ele adora "falar" com ela, ela adora "falar" com ele, e vibra ainda mais ao saber que ele é o mesmo cara bacana, lindo e interessante que ela conheceu no outro domingo qualquer. Se ela tivesse certeza que ele também gostou dela quando se conheceram, teria contado no ato. Mas então ela se lembra que ele foi embora com outra garota... Ela não queria "perdê-lo", achou que o pouco que eles tinham era muito, e era melhor que nada, e cometeu o erro de não contar...

Ele decide que eles têm que se encontrar. Mesmo morrendo de vontade de vê-lo de novo e curtir com ele aquele curta-metragem mágico, leve, livre de promessas e exigências, ela reluta, sabendo que quando se encontrarem, ele não vai conseguir esconder a decepção...
Ele insiste, e ela, num impulso de coragem, eleva seu pensamento mais positivo pra acreditar que no fim aquela sensação de não agradá-lo vai desaparecer, e ele vai se render aos encantos dela.

Pra ela, a noite foi mágica. A saia-justa em que se meteu, o calor da pele a cada olhar dele, o coração acelerado a cada beijo, o arrepio a cada toque... Ela foi pra casa leve, com vontade de mais.
Ele se limitou a mandar uma msg cordial, quase agarrada à insensibilidade, desejando a ela um feliz ano novo...


Nenhum comentário :