18 de junho de 2010

...

"Nossa única defesa contra a morte
é o amor."

- José Saramago - 
16 de Novembro de 1922 — 18 de Junho de 2010


17 de junho de 2010

Uma teoria sobre os ciclos da vida...


Eu tenho uma teoria... pode até ser meio sem-noção, e provas que é bom, não tenho nenhuma!, mas talvez tenha algum fundamento!... Fundamentada no quê?! Há! na minha vida... rsrsrs
Como a gente sabe, tudo segue um ciclo... a flor, a fruta, o ser humano... tudo precisa de um tempo pra se formar, nascer, crescer e morrer, certo!?
Pois bem... até onde eu sei, nós podemos perfeitamente nascer de 7 meses, não de 6 ou 8, mas de 7 sem problemas maiores... e baseado nisso, e nos ciclos que completo esse ano, nasceu minha teoria, que é a seguinte: - nós amadurecemos e passamos por grandes mudanças a cada 7 anos!
Como assim?! 
Bom... quando completamos 7 anos de idade, praticamos deixamos pra trás tudo que nos fazia "bebês"... deixamos as fraldas completamente, comemos sozinhos, formamos frases completas e fundamentadas, descobrimos que meninos e meninas são fisicamente diferentes... e consequentemente também deixamos pra trás o que passamos quando bebês, esquecemos as coisas que passaram.

Depois, dos 7 aos 14 anos passamos a nos importar mais com tudo o que acontece a nossa volta. Não entendemos direito a relação pessoa-pessoa, mas passamos a nos comportar melhor, aprendemos que tudo o que fazemos tem consequências - boas e ruins -, nos damos conta da nossa sexualidade mesmo sem compreender de fato as mudanças pelas quais passamos, vivemos nosso primeiro amor... e o que passou até os 7 anos a gente lembra, mas não sofre...

Dos 14 aos 21 nossa vida vira uma zona! total!! Não somos mais tão crianças nem somos tão adultos assim. Entramos na puberdade, e aí, o mundo cai na nossa cabeça... somos invadidos por contradições... os hormônios gritando do lado de dentro, os pais gritando do lado de fora... um exigindo liberdade, o outro responsabilidade... e nós, no meio, totalmente perdidos, feito cegos em tiroteio...

Dos 21 aos 28, se sobrevivemos ao ciclo anterior, então saímos vitoriosos e podemos "relaxar" um pouco. Já sabemos o que somos, descobrimos do que gostamos, sabemos o que não gostamos, e podemos ir em frente. Já compreendemos mais os nossos pais, já aceitamos que temos culpa no cartório e que colhemos o que plantamos. Já sofremos na pele os arrependimentos, mas somos fortes pra encarar o que vier.

Dos 28 aos 35 passamos a aproveitar mais os momentos que vivemos, aprendemos a dar mais valor às pessoas do que às coisas, aprendemos a falar NÃO com convicção, e temos mais coragem pra tomar atitudes difíceis, pra magoar as pessoas ao invés de concordar com elas nos magoando, pra aceitar a vida e a morte como elas são. Somos mais responsáveis - não com dinheiro, com carreira, com família (alguns são, outros não) -, mas por nós mesmos, pela nossa felicidade, pelos nossos planos, sonhos e desejos, por nossa vida... Descobrimos que somos realmente livres... e que liberdade é coisa muito séria!!

Dos 35 em diante... aí só Deus é que sabe!!! hahaha


16 de junho de 2010

Fazer amor é outra coisa...

"Dar é dar.
Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido. Mas dar é bom pra cacete.
Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca... Te chama de nomes que eu não escreveria... Não te vira com delicadeza... Não sente vergonha de ritmos animais...
Dar é bom. Melhor do que dar, só dar por dar.
Dar sem querer casar... Sem querer apresentar pra mãe... Sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo.
Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral... Te amolece o gingado... Te molha o instinto. Dar porque a vida é estressante e dar relaxa.
Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de amanhã. Tem pessoas que você vai acabar dando, não tem jeito.
Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem esperar ouvir futuro.
Dar é bom, na hora. Durante um mês. Para os mais desavisados, talvez anos.
Mas dar é dar demais e ficar vazio. Dar é não ganhar...
É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro. É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir. É não ter alguém pra querer casar, para apresentar pra mãe, pra dar o primeiro abraço de Ano Novo e pra falar: - “Que que cê acha amor?”. É não ter companhia garantida para viajar. É não ter para quem ligar quando recebe uma boa notícia.
Dar é não querer dormir encaixadinho... É não ter alguém para ouvir seus dengos... 
Mas dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito.
Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor. 
Esse sim é o maior tesão.
Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar.
Experimente ser amado..." 

- Tatiane Bernardi


15 de junho de 2010

Acasos...

Às vezes nos deparamos com situações totalmente inesperadas, inimagináveis, situações que nem em sonhos aconteceriam... - como quem diz.. "eu esperava tudo, menos isso!"...

Parece... mas tenho quase certeza que não é verdade!
Tudo que acontece, se materializa apenas porque de alguma forma demos oportunidade para que acontecesse, porque, no fundo no fundo queríamos mesmo que acontecesse.
Se a gente se encontrou, num desses "acasos" da vida, justamente quando nós dois precisávamos exatamente do que um tem pra oferecer ao outro, não me parece ser tão "acaso" assim...

Nós podemos usar da razão e dizer que não vai dar, que não é a hora e o lugar, que é melhor deixar pra depois, deixar pra lá, "esquecer"... Mas não podemos dizer nunca que não encontramos exatamente aquilo que queríamos, que desejávamos!
Nunca atraímos o que de fato não queremos, pessoas ou situações que não se identificam, que correspondam às nossas expectativas e que de certa forma nos completam...


14 de junho de 2010

Sistema Operacional Casamento

- Esse vai pros amigos de profissão...

Prezado Técnico,
Há um ano e meio troquei o programa [Noiva 1.0] pelo [Esposa 1.0] e verifiquei que o programa gerou um aplicativo inesperado chamado [ Bebê.exe ] que ocupa muito espaço no HD.
Por outro lado, o [Esposa1.0] se auto-instala em todos os outros programas e é carregado automaticamente assim que eu abro qualquer aplicativo.
Aplicativos como [Cerveja_Com_A_Turma 0.3], [Noite_De_Farra 2.5] ou [Domingo_De_Futebol 2.8], não funcionam mais, e o sistema trava assim que eu tento carregá-los novamente.
Além disso, de tempos em tempos um executável oculto (vírus) chamado [Sogra 1.0] aparece, encerrando Abruptamente a execução de um comando.
Não consigo desinstalar este programa. Também não consigo diminuir o espaço ocupado pelo [Esposa 1.0] quando estou rodando meus aplicativos preferidos.
Sem falar também que o programa [Sexo 5.1] simplesmente sumiu do HD.
Eu gostaria de voltar ao programa que eu usava antes, o [Noiva 1.0], mas o comando [Uninstall.exe] não funciona adequadamente.
Poderia me ajudar? Por favor!
- Ass: Usuário Arrependido

RESPOSTA:
Prezado Usuário, 
Sua queixa é muito comum entre os usuários, mas é devido, na maioria das vezes, a um erro básico de conceito: muitos usuários migram de qualquer versão [Noiva 1.0] para [Esposa 1.0] com a falsa idéia de que se trata de um aplicativo de entretenimento e utilitário. Entretanto, o [Esposa 1.0] é muito mais do que isso: é um sistema operacional completo, criado para  controlar todo o sistema!
É quase impossível desinstalar [Esposa 1.0] e voltar para uma versão anterior [Noiva 1.0], porque há aplicativos criados pelo [Esposa 1.0], como o [Filhos.dll], que não podem ser deletados de jeito nenhum, que eu sei que ocupam muito espaço mas não rodam sem o [Esposa 1.0].
Alguns usuários tentaram formatar todo o sistema para em seguida instalar a [Noiva Plus] ou o [Esposa 2.0], mas passaram a ter mais problemas do que antes.
Obs.: Importante: Leia os capítulos 'Cuidados Gerais' referente a ' Pensões Alimentícias' e ' Guarda das crianças' do software [CASAMENTO].

Uma das melhores soluções é o comando [DESCULPAR.EXE /flores/all] assim que aparecer o menor problema ou se travar o programa. Evite o uso excessivo da tecla [ESC] (para escapar).
Para melhorar a rentabilidade do [Esposa 1.0], aconselho o uso de [Flores 5.1], [Férias_No_Caribe 3.2] ou [Jóias 3.3]. Os resultados são bem interessantes!
Mas NUNCA instale [Secretária_De_Minissaia 3.3], [Antiga_Namorada 2.6] ou [Turma_Do_Chopp 4.6 ], pois não funcionam depois de ter sido instalado o [Esposa 1.0] e podem causar problemas irreparáveis ao sistema.
Com relação ao programa [Sexo 5.1], esqueça! Esse só roda quando quer.
Se você tivesse procurado o suporte técnico antes de instalar o [ Esposa1.0] a orientação seria: NUNCA INSTALE O [ESPOSA 1.0] sem ter a certeza de que é capaz de usá-lo!
Ass: Técnico T.I. 


13 de junho de 2010

A vantagem de ser daltônico...



12 de junho de 2010

...

O melhor presente que você pode dar é um abraço:
ele é tamanho único, e ninguém vai se importar
se você quiser devolvê-lo!


11 de junho de 2010

ToscoHits 80's

Noite Preta
- Vange Leonel - 


8 de junho de 2010

DUAS BOLAS, POR FAVOR!

Recebi esse texto por email, e não pude resistir à tentação de dividir com vcs...

DUAS BOLAS, POR FAVOR
- por Danuza Leão

"Não há nada que me deixe mais frustrada do que pedir sorvete de sobremesa, contar os minutos até ele chegar e aí ver o garçom colocar na minha frente uma bolinha minúscula do meu sorvete preferido. 
Uma só. E quanto mais sofisticado o restaurante, menor a porção da sobremesa. 
Aí a vontade que dá é de passar numa loja de conveniência, comprar um litro de sorvete bem cremoso e saborear em casa com direito a repetir quantas vezes a gente quiser, sem pensar em calorias, boas maneiras ou moderação. 

O sorvete é só um exemplo do que tem sido nosso cotidiano. 
A vida anda cheia de meias porções, de prazeres meia-boca, de aventuras pela metade. 
A gente sai pra jantar, mas come pouco. Vai à festa de casamento, mas resiste aos bombons. Conquista a chamada liberdade sexual, mas tem que fingir que é difícil (a imensa maioria das mulheres continua com pavor de ser rotulada de 'fácil').  Adora tomar um banho demorado, mas se contém pra não desperdiçar os recursos do planeta. Tem vontade de ficar em casa vendo um dvd, esparramada no sofá, mas se obriga a ir malhar. E por aí vai. 

Tantos deveres, tanta preocupação em 'acertar', tanto empenho em passar na vida sem pegar recuperação... 
Aí a vida vai ficando sem tempero, politicamente correta e existencialmente sem-graça, enquanto a gente vai ficando melancolicamente sem tesão... 
Às vezes dá vontade de fazer tudo “errado”. Deixar de lado a régua, o compasso, a bússola, a balança e os 10 mandamentos. Ser ridícula, inadequada, incoerente e não estar nem aí pro que dizem e o que pensam a nosso respeito. Recusar prazeres incompletos e meias porções. 

Nós, que não aspiramos à santidade e estamos aqui de passagem, podemos (devemos?) desejar várias bolas de sorvete, bombons de muitos sabores, vários beijos bem dados, a água batendo sem pressa no corpo, o coração saciado.

Um dia a gente cria juízo. Um dia... Não tem que ser agora.
Por isso, garçom, por favor, me traga: cinco bolas de sorvete de chocolate... 
Depois a gente vê como é que faz pra consertar o estrago."


5 de junho de 2010

...

"Nunca se justifique.
Os amigos não precisam
e os inimigos não acreditam".


4 de junho de 2010

Doe Palavras

Incentivando a vida...

O Hospital Mário Penna, em Belo Horizonte, que cuida de doentes de câncer, lançou um projeto sensacional que se chama "DOE PALAVRAS". Fácil, rápido e todos podem doar um pouquinho.

Você entra no site http://www.doepalavras.com.br/, escreve uma mensagem de otimismo, curtinha, e sua mensagem aparece no telão para os pacientes que estão fazendo o tratamento.

Participem, não apenas hoje, mas, todos os dias. Dêem um pouquinho das suas palavras e de seus pensamentos...


3 de junho de 2010

Wild Desire


"Todos nós temos anseio pelo que é selvagem.
Existem poucos antídotos aceitos por nossa cultura para esse desejo ardente. Ensinaram-nos a ter vergonha desse tipo de aspiração. Deixamos crescer o cabelo e o usamos para esconder nossos sentimentos.
No entanto, o espectro da Mulher Selvagem ainda nos espreita de dia e de noite. Não importa onde estejamos, a sombra que corre atrás de nós tem, decididamente, quatro patas."
- Clarissa Pinkola Estes in "Mulheres que Correm com os Lobos"


2 de junho de 2010

...


"É por preguiça que o mundo estagna:
ninguém ouve, ninguém fala,
ninguém muda, ninguém age.
É por preguiça que não ajudamos;
é por preguiça que não combatemos;
é por preguiça que não queremos saber...
até ser tarde de mais..."