30 de maio de 2011

Pessoas de carne e osso


Eu tenho um pé atrás com pessoas que são demais, que são ao extremo, efusivas…
Não acredito em pessoas felizes demais, engraçadas demais, melancólicas demais. Tudo em excesso me irrita.
Me irrita pessoas que amam demais, que nem conhece a pessoa direito e já faz declarações de amor e de fidelidade para a eternidade.
Me cansa pessoas que tem de tudo, que sabe de tudo, que conhece tudo.
Me tira do sério pessoas certinhas demais, que não fazem loucuras, que não erram, que nunca se arrependem…
Não posso com pessoas educadas demais, que nunca levantam o tom de voz, nunca falam um palavrão, que nunca dizem não…
Detesto as perfeitinhas demais, que saem pra dançar e não desmancham o cabelo, que não sujam a roupa, que usam cor-de-rosa demais. Isso é outro preconceito meu, enjôo com mulheres que gostam/usam muito da cor rosa.
Não suporto pessoas que não tem um pingo de senso de humor, que não fazem uma piada (mesmo que sem graça)…
Não engulo pessoas ciumentas demais, meladas demais, carentes demais.
Não vai!

Eu gosto de pessoas normais, na medida, no ponto. Com os seus altos e baixos, e crises, e neuras e alegria. Aquelas que riem e choram no mesmo dia, que falam palavrão no transito, que gritam, que batem o pé. 
Amo as que falam “Fo-da-se, hoje eu não estou bem”, as que derrubam comida na roupa, as que amarram o cabelo na balada.
Adoro aquelas que se permitem errar, experimentar, que se arriscam com o desconhecido, pessoas que mentem, pisam na bola, mas que também acertam, amam.
Eu gosto das pessoas palpáveis, de carne e osso!

- Desconheço o autor, mas amei!!


Nenhum comentário :