30 de maio de 2011

Pessoas de carne e osso


Eu tenho um pé atrás com pessoas que são demais, que são ao extremo, efusivas…
Não acredito em pessoas felizes demais, engraçadas demais, melancólicas demais. Tudo em excesso me irrita.
Me irrita pessoas que amam demais, que nem conhece a pessoa direito e já faz declarações de amor e de fidelidade para a eternidade.
Me cansa pessoas que tem de tudo, que sabe de tudo, que conhece tudo.
Me tira do sério pessoas certinhas demais, que não fazem loucuras, que não erram, que nunca se arrependem…
Não posso com pessoas educadas demais, que nunca levantam o tom de voz, nunca falam um palavrão, que nunca dizem não…
Detesto as perfeitinhas demais, que saem pra dançar e não desmancham o cabelo, que não sujam a roupa, que usam cor-de-rosa demais. Isso é outro preconceito meu, enjôo com mulheres que gostam/usam muito da cor rosa.
Não suporto pessoas que não tem um pingo de senso de humor, que não fazem uma piada (mesmo que sem graça)…
Não engulo pessoas ciumentas demais, meladas demais, carentes demais.
Não vai!

Eu gosto de pessoas normais, na medida, no ponto. Com os seus altos e baixos, e crises, e neuras e alegria. Aquelas que riem e choram no mesmo dia, que falam palavrão no transito, que gritam, que batem o pé. 
Amo as que falam “Fo-da-se, hoje eu não estou bem”, as que derrubam comida na roupa, as que amarram o cabelo na balada.
Adoro aquelas que se permitem errar, experimentar, que se arriscam com o desconhecido, pessoas que mentem, pisam na bola, mas que também acertam, amam.
Eu gosto das pessoas palpáveis, de carne e osso!

- Desconheço o autor, mas amei!!


25 de maio de 2011

Hj é Dia da Toalha!!


Meus AMADOS AMIGOS DE VERDADE Mau e Monstrinho que me perdoem... mas recebi um email agora pouco, não pude deixar de postar... hehehe
- tenho certeza que vcs se lembram! Afinal, eu sei.. é impossível esquecer quando se assiste um filme absolutamente fantástico como esse!! rsrs

O email diz o seguinte:
"Dia 25 de maio - Dia da Toalha - é celebrado mundialmente em homenagem a Douglas Adams, autor da saga O Guia do Mochileiro das Galáxias.

E sabe-se muito bem que todo mochileiro interestelar pode esquecer qualquer coisa, menos a sua toalha! O Guia diz:
“A toalha é um dos objetos mais úteis para um mochileiro interestelar. Em parte devido a seu valor prático: você pode usar a toalha como agasalho quando atravessar as frias luas de Beta de Jagla; pode deitar-se sobre ela nas reluzentes praias de areia marmórea de Santragino V, respirando os inebriantes vapores marítimos; você pode dormir debaixo dela sob as estrelas que brilham avermelhadas no mundo desértico de Kakrafoon;
Pode usá-la como vela para descer numa minijangada as águas lentas do rio Moth; 
Pode umedecê-la e utilizá-la para lutar em combate corpo a corpo; enrolá-la em torno da cabeça para proteger-se de emanações tóxicas ou para evitar o olhar da Terrível Besta Voraz de Traal (um animal estonteantemente burro, que acha que, se você não pode vê-lo, ele também não pode ver você – estúpido feito uma anta, mas muito, muito voraz);
Você pode agitar a toalha em situações de emergência para pedir socorro; 
E naturalmente pode usá-la para enxugar-se com ela se ainda estiver razoavelmente limpa. 
Porém, o mais importante é o imenso valor psicológico da toalha. Por algum motivo, quando um estrito (isto é, um não-mochileiro) descobre que um mochileiro tem uma toalha, ele automaticamente conclui que ele tem também escova de dentes, esponja, sabonete, lata de biscoitos, garrafinha de aguardente, bússola, mapa, barbante, repelente, capa de chuva, traje espacial, etc., etc. 
Além disso, o estrito terá prazer em emprestar ao mochileiro qualquer um desses objetos, ou muitos outros, que o mochileiro por acaso tenha “acidentalmente perdido”. O que o estrito vai pensar é que, se um sujeito é capaz de rodar por toda a Galáxia, acampar, pedir carona, lutar contra terríveis obstáculos, dar a volta por cima e ainda assim saber onde está sua toalha, esse sujeito claramente merece respeito.”
E como bem diz o email.. Vamos Comemorar!! huhuhuh

Leia mais aqui: techtudo - a tecnologia descomplicada


20 de maio de 2011

Sou o que sou...


(...)
A auto aceitação é antes de tudo gostar de si mesmo. E sem este gostar nada mais será possível.

Sou o que sou diante de mim e dos outros, 
mesmo sabendo que muitas vezes é difícil ser assim.
 
Somos criticados, censurados, julgados e as vezes até mesmo condenados... Sempre vamos pagar um preço por ser nós mesmos, por aceitarmos nosso verdadeiro eu. Não importa...
Claro que vivemos em um grupo social que têm regras e normas, mas mesmo assim é possível se ter auto estima, gostar de si mesmo.
A sensação de paz interior é um dos maiores indicativos que podemos ter diante de uma boa auto aceitação.

- Tânia Regina O.


16 de maio de 2011

Ser corno ou Não ser?!..

Outro dia eu estava vendo as estatísticas de acesso ao blog, e pra minha surpresa, o post Quem não se dedica, se complica!... é um dos mais visitados...
Aí fiquei me perguntando o motivo de tantas visitas pra esse post... Sabe aquela história do biscoito tostines? - tá sempre fresquinho porque vende mais ou vende mais porque tá sempre fresquinho? rsrs
Pois é.. será que esse post com as dicas ajuda porque muita gente tem mesmo medo de ser corno ou será que é porque muita gente tem mesmo muita vontade de ser?
Como assim? Assim mesmo! Pode até parecer loucura para uns, mas ser corno é uma tara de muitos.
O que gera muita confusão! Afinal.. com tanto preconceito que existe sobre o assunto, só podia gerar.
Além disso, esse é um assunto muito mais delicado, que permite discussões infinitas sobre quase tudo o que nos rodeia - preconceito, auto-estima, amor próprio, coragem, sociedade, cultura, etc. - um assunto que dá muito pano pra manga, muito mais profundo do que esse post possa abranger...
Afinal... Quem morre de medo de ser corno também morre de medo de não ser capaz, de não ser suficiente, de não bom o bastante e vive entre altos e baixos consigo próprio, sempre em dúvida sobre si mesmo. 
E quem morre de vontade de ser corno também morre de medo de se expor, de não ser suficiente aos olhos de quem ama e da sociedade, de ser motivo de gozação e piadinhas, de perder a pessoa que ama, de não ser normal (já que todos aprendemos que ser corno é o mesmo que não amar a si mesmo, é o mesmo que ser louco, é o mesmo que não se dar valor ou respeito).
Discussões profundas à parte, fiquei mesmo curiosa. Curiosa em relação ao post do blog ser um dos mais visitados, curiosa em relação ao assunto em si. E atrevida como sou, ainda fiquei - como dizem - com "algumas pulgas atrás da orelha", claro. hehe
E sem resposta também... já que o post não tem nenhum recadinho, nenhum comentário.. ninguém quis se manifestar... =((


13 de maio de 2011

Cliente bom...

Cliente bom...
é cliente morto!!  hehehe

Published with Blogger-droid v1.6.8


11 de maio de 2011


Ecos...

beijo. amor. desejo. vontade. carinho. corpo. cuidado. olhar. calor. querer. suor. abraço. mãos. afago. prazer. palavras. sorriso. tesão. coração. plano. doçura. pele. saudade. pernas. cheiro. mimo. paixão. sonho. ecos dentro de mim...


6 de maio de 2011

Dicas e Idéias pro final se semana..


A verdadeira impotência sexual masculina
* Dicas infalíveis de sedução
Entrevista sobre o Não2Não1 (e relacionamentos, pra variar)
Tensão, conta afrodisíaca, meditação e outros caminhos para o sexo
Sexo prolongado: 11 dicas para ignorar o orgasmo e fazer amor por horas


Carona

"- Quer carona? - ele diz.
- Seu caminho não tem nada a ver com o meu caminho pra casa...
- Eu não disse que ia te levar pra casa, só perguntei se queria carona...
- Quero..."

Resultado: algumas marcas roxas no meu pescoço, corpo dolorido e uma noite deliciosa.

- 100 escovadas antes de ir para a cama.


5 de maio de 2011

Preguiça...


A voz do silêncio

"Pior do que uma voz que cala
é um silêncio que fala."
- Paula Taitelbaum


"Simples. Rápido. E quanta força. Imediatamente me veio a cabeça situações em que o silêncio me disse verdades terríveis, pois você sabe, o silêncio não é dado a amenidades.

Um telefone mudo. Um e-mail que não chega. Um encontro onde nenhum dos dois abre a boca. Silêncios que falam sobre desinteresse, esquecimento, recusas. Quantas coisas são ditas na quietude, depois de uma discussão. O perdão não vem, nem um beijo, nem uma gargalhada para acabar com o clima de tensão. Só ele permanece imutável, o silêncio, a ante-sala do fim.

É mil vezes preferível uma voz que diga coisas que a gente não quer ouvir, pois ao menos as palavras que são ditas indicam uma tentativa de entendimento. Cordas vocais em funcionamento articulam argumentos, expõem suas queixas, jogam limpo. Já o silêncio arquiteta planos que não são compartilhados. Quando nada é dito, nada fica combinado.

Quantas vezes, numa discussão histérica, ouvimos um dos dois gritar: "diz alguma coisa, diz que não me ama mais, mas não fica aí parado me olhando". É o silêncio de um mandando más notícias para o desespero do outro.

É claro que há muitas situações em que o silêncio é bem-vindo.
Para um cara que trabalha com uma britadeira na rua, o silêncio é um bálsamo. Para a professora de uma creche, o silêncio é um presente. Para os seguranças dos shows do Sepultura, o silêncio é uma megasena. Mesmo no amor, quando a relação é sólida e madura, o silêncio a dois não incomoda, pois é o silêncio da paz.

O único silêncio que perturba é aquele que fala. E fala alto.
É quando ninguém bate a nossa porta, não há recados na secretária eletrônica e mesmo assim você entende a mensagem..."
- Martha Medeiros 


4 de maio de 2011

2 de maio de 2011

...

Sabe quando vc acorda e de repente tem aquela sensação de que tá tudo errado?
Aquela sensação estranha, de confusão e certeza ao mesmo tempo? Aquela sensação de frustração e impotência? Aquela que faz vc se perguntar se vc é a pessoa errada ou é a hora que tá errada? E aí vc mesmo se responde e depois cai em contradição?
Pois é... hj acordei assim...

"...Eu sei é tudo sem sentido...
Quero ter alguém com quem conversar
Alguém que depois não use o que eu disse contra mim..."